Durante simpósio, G20 no Brasil busca aprofundar o debate sobre tributação internacional justa

Impostos internacionais

O evento internacional em Brasília reúne especialistas e representantes de organizações internacionais e de estados membros do G20 para discutir estratégias de combate à desigualdade e financiar medidas de combate à fome e à pobreza, destacando a importância de uma forte cooperação tributária.

21/05/2024 às 11h49 – Modificado há 2 dias

A presidência brasileira do G20 está promovendo um novo modelo de tributação internacional como prioridade na agenda de combate à desigualdade e de financiamento dos esforços para combater a fome e a pobreza no mundo. Para incentivar especialistas e representantes dos estados membros do Fórum a se envolverem com esta proposta, o Financial Track está organizando um simpósio internacional em Brasília, de 21 a 23 de maio.

“Estamos convencidos de que é possível, a partir de uma base técnica sólida, unir esforços para melhorar os nossos sistemas fiscais, criando assim espaço fiscal adicional para financiar estruturas mais flexíveis, investir no desenvolvimento sustentável, combater a fome e a pobreza e promover outras medidas nacionais. prioridades”, afirmou a embaixadora e coordenadora das discussões financeiras do Fórum, Tatiana Rossetto, na abertura do evento.

Segundo Rossetto, as discussões serão pautadas por uma agenda diversificada e colaborativa, incluindo temas de importância para as maiores economias do mundo. Os delegados terão amplas oportunidades de apresentar os desafios fiscais nacionais contemporâneos, incentivando ao mesmo tempo o debate e a troca de ideias que serão utilizadas para formular a Declaração do G20 sobre Tributação Internacional.

“A nossa visão é utilizar a Declaração para renovar o nosso compromisso político coletivo com uma tributação mais justa e reforçar a cooperação internacional, colocando esta importante questão no topo da agenda internacional. Acredito que temos uma oportunidade de ouro nas nossas mãos para fazer uma diferença real. ”, disse o Embaixador.

READ  Pequenas e microempresas são responsáveis ​​por 69% dos empregos no Brasil – MercoPress

Adriana Gomez Rigo, Subsecretária Geral da Receita Federal do Brasil, observou que as discussões serão fundamentais para pensar sobre o que está na vanguarda da relação entre tributação, desigualdade e crescimento econômico e “como essas questões podem ser feitas por diferentes festas.” Ela explicou como as políticas municipais podem afetar a desigualdade de rendimentos e o crescimento económico em diferentes países. Ela concluiu: “Acreditamos que o evento será rico em discussões e temos expectativas muito positivas em relação aos seus resultados, de modo que servirá de base para discussões entre os países do G20”.

A presidência brasileira do G20 pressiona por um novo modelo de tributação internacional e conta com o compromisso dos estados membros do fórum.
A presidência brasileira do G20 pressiona por um novo modelo de tributação internacional e conta com o compromisso dos estados membros do fórum.

Nomes de destaque na tributação internacional

O evento contará com especialistas em impostos como palestrantes principais, incluindo representantes de organizações internacionais, da União Europeia, do Banco Mundial, do Banco Interamericano de Desenvolvimento e dos estados membros do G20. Brasil, Reino Unido, Noruega, França, Índia, Austrália e África do Sul apresentarão os seus modelos fiscais progressivos bem-sucedidos.

O evento terminará com uma palestra de Gabriel Zucman, economista francês, sobre uma proposta inovadora para discutir como os sistemas fiscais globais podem tornar mais fácil para os ricos evitarem o pagamento de impostos, bem como as implicações do aprofundamento da desigualdade e da erosão. Das democracias em todo o mundo.

O evento é limitado a convidados e não será transmitido online.

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *