Da Mensagem Quebra-Gelo aos Parabéns de Landem: Nos Bastidores do “Sim” ao Flamengo e Diego Alves | Flamingo

O impasse de dois meses foi resolvido em quase 12 horas de troca de cartas, ligações, reuniões e boa vontade de ambas as partes na quinta-feira. No final, um brinde com xícaras de café em um restaurante da Barra da Tijuca levou ao fechamento da residência de Diego Alves em Flamingo Por mais um ano.

Faltando menos de duas semanas para o final da década, o clube e o jogador perceberam que o divórcio com cara de briga não faria bem para ninguém e os despojaram de seus status irredutíveis. Foi então que surgiram nos telefones de Marcus Prause, Bruno Spindel e do empresário Eduardo Maloof as mensagens de “alô, você se foi”.

Diego Alves se rejuvenesce no Flamengo há um ano – Foto: André Mourão / FOTO FC

Foi imediatamente provado que não havia certo ou errado na história e ambos os lados entenderam que precisavam ceder. Braz e Maluf mantiveram uma relação estreita desde a passagem de Diego pelo Flamengo, no início do governo Landem, e nunca desistiram de uma nova transformação, como no final de 2018.

Com o goleiro e Landem concordando em relaxar em busca de consenso, os dois e Bruno Spindel se encontraram para uma conversa franca durante a tarde. Até que ponto todos podem desistir de buscar uma solução? Cartas na mesa.

No momento, Diego Alves treinava no Ninho do Urubu e quem deu continuidade à atividade já relatou uma postura mais leve e relaxada que chamou a atenção. No final da atividade, foi o telefone do goleiro que tocou com a “ordem de convocação” para ingressar no encontro no início da noite.

Braz, Malouf e Spindle já chegaram a um terreno comum. O Flamengo concordou com uma emenda maior que os 10% iniciais, e o empresário entendeu que era preciso aceitar um ano para que a novela tivesse um final feliz. Ok Diego estava faltando.

Diego Alves do Flamengo e seu empresário Eduardo Maloof – Foto: Reprodução

Aos trinta e cinco anos, o goleiro recebeu propostas oficiais de clubes da Espanha e da Arábia Saudita e encaminhou documentos ao Flamengo para que não houvesse dúvidas. Explicou ainda que o Benfica de Jorge Jesus nunca tinha entrado na estrada.

Porém, mudar de país e, essencialmente, encerrar uma relação de sucesso com o clube, vai atrapalhar não só os planos dentro de campo, mas também fora dele. Maluf tem projetos para valorizar a imagem de Diego Alves e conversas constantes com marcas importantes. Nesse cenário, o tamanho do flamingo é fundamental.

Tudo foi colocado na balança, que teve muito mais peso em relação ao tão esperado “sim” mútuo. Antes das elites e das postagens nas redes sociais, um último protocolo: Marcus Prause colocou Rodolfo Landem no telefone.

– Parabéns capitão! Ficamos muito felizes que tudo correu bem e continuaremos buscando os títulos.

Uma vez que ele era um adversário, ele agora é um amigo. O Flamengo tem 13 dias para empurrar a questão burocrática, colocar o acordo no papel e assiná-lo. Diego Alves ficou no clube por mais 12 meses, e mais capitão do que nunca.

Diego Alves, do Flamengo – Foto: André Mourau / FOTO FC

READ  O governador da Carolina do Sul, Carlos Moises, é absolvido de impeachment e volta ao cargo | Santa catarina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *