Crescente número de sem-abrigo – Portugal News

Em assembleia geral do executivo municipal, a votação coube ao vereador Bloco de Esquerda (Ele é), Beatriz Gomez Dias, e foi aprovado por unanimidade.

Entre os sem-abrigo que pernoitam no Largo da Igreja dos Anjos, a Conselheira do BE destacou a presença de 30 migrantes timorenses, recordando a proposta que apresentou e aprovou para a criação de um projeto municipal de acolhimento de emergência para cidadãos timorenses, com resposta nas zonas habitação, emprego, saúde e educação.

Esta proposta foi apresentada há mais de um ano e aprovada em fevereiro.

Num voto de preocupação, o BE confirmou que a proposta de criação de um projeto municipal de acolhimento de emergência “continua válida” para apoiar e acompanhar os timorenses que chegaram a Lisboa nos últimos meses, proporcionando habitação, emprego, saúde e educação. condições.

Além disso, a votação alerta para os obstáculos que os estrangeiros enfrentam na regularização da sua situação em Portugal, incluindo a decisão da Junta de Freguesia de Arroyos que exige uma autorização de residência válida (arrendar ou comprar casa) para a emissão de certificados de residência.

No âmbito da votação, o vereador do CPC, João Ferreira, disse que a câmara é obrigada a fazer mais do que apenas manifestar preocupação, afirmando que esta situação “requer intervenção social”, pelo que o município deve intervir “o mais rapidamente possível”.

Atualmente, o executivo de 17 membros da Câmara de Lisboa inclui sete membros eleitos da coligação “Novos Tempos” (PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança) – os únicos com responsabilidades específicas e que governam sem maioria absoluta – três do Partido Socialista, dois do Partido Comunista, três do Cidadãos Por Lisboa (eleito pela coligação PS/Livre), um do Livre e um do BE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *