Compartilhando Métodos e Recursos – Como a FedEx está Melhorando o Transporte no Brasil

Publicados 4 horas atrás

Enviado por FedEx Corporation

Em 2007, o Brasil foi anunciado como sede da Copa do Mundo de 2014. Na época, o país tinha cerca de 200 milhões de habitantes e havia dobrado seu PIB desde 2000. Dois anos depois, o Brasil foi premiado com as Olimpíadas de 2016, a primeira País americano a sediar os Jogos. . Com sua economia desenvolvida e futuro anfitrião de dois eventos esportivos de classe mundial, as restrições históricas de mobilidade urbana estão se tornando mais prementes. As cidades-sede em todo o Brasil reconheceram a oportunidade de impulsionar os investimentos necessários para construir a infraestrutura de transporte necessária para fornecer mobilidade a todos os cidadãos (e visitantes).

Para atender a demanda, o Brasil adotou o sistema Bus Rapid Transit (BRT), um sistema de transporte público que foi inicialmente alavancado em Curitiba, Brasil, uma das cidades mais sustentáveis ​​do país. Hoje, os sistemas BRT de ônibus rápido oferecem serviços rápidos, convenientes e econômicos para as cidades, muitas vezes em um terço do tempo de implementação e menos da metade do orçamento de soluções baseadas em trilhos.

Para o Rio de Janeiro, a cidade anfitriã das Olimpíadas, a rápida expansão do transporte rápido de ônibus possibilitou que a cidade fornecesse o transporte necessário para os Jogos, ao mesmo tempo em que fornece infraestrutura valiosa e de longo prazo para os residentes. Em todo o Brasil, a Copa do Mundo também gerou efeitos semelhantes, em maior ou menor grau.

Esta não foi uma tarefa simples. Como o transporte público costuma ser financiado pelas sociedades brasileiras, cada sistema de ônibus opera de maneira diferente, desde os tipos de ônibus adquiridos até as conexões de passageiros e o uso de tecnologia para melhorar a confiabilidade, o serviço e o conforto. O feedback dos passageiros e agências governamentais foi amplamente anedótico e muitas vezes não forneceu ações que as agências poderiam tomar para melhorar o serviço.

READ  Lula Bolsonaro lidera em meio às eleições brasileiras

Infográfico com um mapa do Brasil

A FedEx também enfrentou um problema semelhante para muitas agências de transporte brasileiras – como podemos aumentar a qualidade de nossos serviços em todos os nossos sistemas e criar uma linguagem comum e um conjunto de ferramentas para melhorias. Dessa necessidade surgiu o Quality-Based Management (QDM), o processo da FedEx para melhorar a qualidade em toda a organização. Acho que a citação de nosso presidente Fred Smith foi melhor colocada:

“O QDM nos dará maneiras comuns de melhorar a qualidade em toda a nossa organização. Pela primeira vez, todos usaremos a mesma linguagem, ferramentas e métricas para analisar as causas dos problemas e planejar ações corretivas. QDM é como a FedEx administrará nossos negócios para levar a qualidade e a fidelidade à marca a novos patamares.” Fundador e presidente da FedEx, Fred Smith

Em 2012, dois anos antes da Copa do Mundo, WRI e FedEx criaram o programa “Fellows”. O objetivo era identificar profissionais emergentes no grupo de transporte do WRI que pudessem se beneficiar da experiência da FedEx em atendimento ao cliente, eficiência operacional, marketing, segurança do motorista, manutenção, aquisição de veículos mais eficientes e muito mais. Seis colegas do WRI foram identificados e viajaram para a sede em Memphis para participar de uma semana de treinamento com executivos da empresa.

Uma fellow naquele ano foi Christina Albuquerque, que agora é Diretora de Mobilidade Urbana do Centro WRI Ross para Cidades Sustentáveis ​​no Brasil. Kristina percebeu que os princípios e processos QDM poderiam ser aplicados aos desafios enfrentados pelos sistemas de transporte por ônibus, melhorando a qualidade do serviço em uma metodologia que funcionaria em todas as agências do país. Cada agência utilizava métricas, metodologias e processos diferentes para fazer melhorias no sistema, o que dificultava a capacidade de aprender com outras cidades e ter uma linguagem comum em todo o país.

READ  O ministro da Economia disse que o Brasil tem um "grande problema" com a Argentina nas negociações do Mercosul

O QualiOnibus começou no mesmo ano (2012) com sete cidades brasileiras participando primeiro. Seu objetivo era criar uma estrutura semelhante ao QDM para agências de transporte de ônibus em todo o Brasil. Em um ano, o WRI desenvolveu um kit de ferramentas para conduzir processos consistentes de melhoria de serviço. Hoje, a organização ajuda a aumentar a qualidade da experiência do cliente, identifica melhorias operacionais e de segurança, destaca as melhores práticas em diferentes cidades e fornece uma plataforma para aprendizado contínuo, compartilhamento de conhecimento e desenvolvimento profissional.

Hoje, o QualiOnibus tem 30 agências de ônibus brasileiras com lista de espera! Diferentes agências têm diferentes sistemas, métodos e requisitos de serviço, mas agora estão melhorando constantemente o transporte de ônibus de acordo com fatores de qualidade, como:

  • Confiabilidade – Peguei o ônibus e cheguei ao meu destino no horário?
  • Acesso – Posso chegar facilmente ao trânsito e navegar pelas estações?
  • Tempo de viagem – Economizo tempo andando de transporte público em vez de carro?
  • Conveniência – Os pontos de ônibus incluem áreas de espera? Os ônibus são programados para evitar a superlotação?
  • Segurança – Os pontos de ônibus são bem iluminados? Os passageiros se sentem seguros no sistema de trânsito?
  • Informação – Existem bons mapas, comunicações e direções para navegar no sistema?

O trabalho da QualiOnibus não apenas melhora o trânsito para os brasileiros, mas também reflete como empresas como a FedEx podem trabalhar ao lado de grupos como o WRI para influenciar investimentos e impactar positivamente fatores sociais, financeiros e ambientais em cidades globais em crescimento.

“A colaboração com a FedEx nos últimos 10 anos continuou agregando valor ao WRI e às agências de transporte de ônibus que apoiamos”, afirma Christina Albuquerque, do WRI. “Agradecemos muito a disposição da empresa em compartilhar seus recursos e melhores práticas para melhorar o transporte em nossas cidades mais movimentadas.” Em última análise, menos pessoas nos carros resulta em menos carros na estrada, o que reduz o tempo que os passageiros (e motoristas de entrega) precisam perder no trânsito.

READ  Warner Chappell Music Production se expande para o Brasil, liderada por Renato Moraes - Music Business Worldwide

Quando empresas, ONGs e comunidades se unem para causar impacto, alcançamos o objetivo de criar valor compartilhado, tanto para os acionistas da FedEx quanto para as partes interessadas nas comunidades nas quais atendemos e contratamos membros da equipe. Somos gratos por colaborar com o WRI e esperamos o que alcançaremos juntos na próxima década.

logotipo da FedEx

FedEx Corporation

FedEx Corporation

FedEx Corp. (NYSE: FDX) oferece aos clientes e empresas em todo o mundo uma ampla variedade de serviços de transporte, comércio eletrônico e negócios. Com receita anual de US$ 93 bilhões, a empresa oferece soluções de negócios integradas por meio de empresas operacionais que competem coletivamente, trabalham de forma colaborativa e inovam digitalmente como uma empresa FedEx. Constantemente classificada entre os empregadores mais admirados e confiáveis ​​do mundo, a FedEx inspira seus mais de 530.000 funcionários a permanecerem focados na segurança, nos mais altos padrões éticos e profissionais e nas necessidades de seus clientes e comunidades. A FedEx está empenhada em conectar pessoas e capacidades em todo o mundo com responsabilidade e engenhosidade, com o objetivo de alcançar operações neutras em carbono até 2040. Para saber mais, visite fedex.com/about.

mais do que FedEx Corporation

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *