Comparação dos custos diretos da produção de soja nos Estados Unidos e no Brasil

Os custos diretos da produção de soja no estado brasileiro de Mato Grosso aumentaram a uma taxa semelhante aos de Illinois desde 2016. Os custos diretos dos insumos no Brasil atingiram níveis recordes para a safra 2022/2023 e deverão diminuir durante a safra 2023/2023. Temporada de 2023. Safra de 2024. Em geral, os custos diretos da produção de soja foram maiores em Mato Grosso do que em Illinois. O artigo de hoje compara tendências nos custos diretos da produção de soja nas principais regiões produtoras do Brasil e dos Estados Unidos, os maiores produtores e exportadores de soja do mundo.

Tendências semelhantes nos custos diretos

Os custos directos incluem o custo dos factores de produção, tais como fertilizantes, sementes, pesticidas (herbicidas, insecticidas e fungicidas), e custos associados à secagem, armazenamento e seguro agrícola. Os custos diretos totais da produção de soja em Mato Grosso aumentaram de US$ 274 por acre em 2016 para US$ 390 em 2023 (ver Figura 1), o que significa uma taxa média de crescimento anual de 7,5%. De 2016 a 2023, os custos diretos totais da produção de soja no centro de Illinois aumentaram de US$ 186 para US$ 295, uma taxa média de crescimento anual de 7,4% (ver Figura 1).

No geral, os custos de produção de soja têm sido mais elevados em Mato Grosso em comparação com o centro de Illinois desde 2016. Apesar dos custos mais elevados, as margens operacionais no Brasil permanecem positivas devido aos preços mais elevados das matérias-primas nos últimos anos, à forte procura global e a uma taxa de câmbio favorável para os exportadores brasileiros. De 2016 a 2023, a moeda brasileira desvalorizou 60% em relação ao dólar (de 3,23 para 5,23 reais por dólar americano).

Os custos diretos totais deverão cair 14% na safra 2023/2024 em Mato Grosso, em comparação com níveis recordes em 2022/2023. Contudo, os custos diretos no Brasil ainda serão mais elevados do que no centro de Illinois. O principal factor desta disparidade de custos directos para a próxima época agrícola é o aumento contínuo do custo dos fertilizantes (ver mais na próxima secção). Em comparação com os Estados Unidos, os preços mais elevados e a volatilidade nos mercados globais de fertilizantes tiveram um impacto negativo maior sobre os agricultores brasileiros, uma vez que dependem das importações para 85% das suas necessidades totais de fertilizantes.

READ  Elecciones Brasil 2022: Sete razões pelas quais Lula venceu as eleições presidenciais brasileiras | internacional

Altos custos com fertilizantes em Mato Grosso

Os custos de fertilizantes para a soja em Mato Grosso aumentaram de US$ 88 por acre em 2016 para US$ 187 por acre em 2023, uma taxa média de crescimento anual de 16,4%. No mesmo período, os custos de fertilizantes para a produção de soja no centro de Illinois aumentaram de 49 dólares para 95 dólares, uma taxa média de crescimento anual de 12% (ver Figura 2). Os custos dos fertilizantes tendem a sofrer mais flutuações do que outras categorias de custos diretos, uma vez que os preços dos produtos fertilizantes acompanham as flutuações dos preços das matérias-primas e da energia.

Os custos dos fertilizantes atingiram níveis recordes em 2023 no Mato Grosso, mas espera-se um declínio de 23% para 2024. Os custos dos fertilizantes por acre no Mato Grosso deverão ser 46% mais elevados do que no centro de Illinois. O custo elevado deve-se principalmente ao aumento dos preços dos fertilizantes, à desvalorização da moeda brasileira em relação ao dólar e à forte dependência do Brasil de fertilizantes importados. O Brasil importa cerca de 95% de suas necessidades de nitrogênio, 91% de suas necessidades de potássio e 75% de suas necessidades de fosfato (ver Farmdoc diariamente17 de março de 2022).

Em 2023, por exemplo, o custo dos fertilizantes representou quase metade dos custos totais da produção de soja em Mato Grosso. Historicamente, os custos de fertilizantes representaram cerca de 35% dos custos diretos totais da soja. A importância dos fertilizantes é explicada pela grande demanda por fertilizantes para solos da região do Cerrado (savana brasileira), que é caracterizada por alta acidez.

Altos custos de sementes no centro de Illinois

Os custos das sementes de soja em Mato Grosso aumentaram de US$ 29 por acre em 2016 para US$ 64 por acre em 2023, um crescimento médio anual de 16%. No centro de Illinois, de 2016 a 2023, os custos das sementes de soja aumentaram de 74 dólares para 80 dólares, uma taxa média de crescimento anual de 1,2% (ver Figura 3). Os custos das sementes têm permanecido relativamente estáveis ​​em Illinois nos últimos anos, apresentando uma ligeira tendência de queda ao longo de 2020 e aumentando novamente à medida que os rendimentos aumentam de 2020 para 2022.

Os custos de sementes por acre em Illinois foram consistentemente mais elevados do que em Mato Grosso. No centro de Illinois, espera-se que os custos das sementes sejam 51% maiores do que a previsão de Mato Grosso para a safra 2023/24. Os custos das sementes de soja são normalmente menos afetados pelas flutuações cambiais do que os fertilizantes e produtos químicos, uma vez que a maior parte da produção de sementes no Brasil é doméstica. No Mato Grosso, por exemplo, são produzidas 90% das sementes de soja utilizadas no estado. Como resultado, não há impostos estaduais e os custos de envio são relativamente baixos.

Custos mais elevados com agrotóxicos em Mato Grosso

Os custos dos pesticidas de soja em Mato Grosso caíram de US$ 111 por acre em 2016 para US$ 85 por acre em 2022, mas espera-se que gerem mais de US$ 100 por acre para as safras de 2023 e 2024. Em comparação, os custos dos pesticidas para a produção de soja no centro de Illinois aumentaram de 40 dólares para 88 dólares projectados para a colheita de 2023 (ver Figura 4). Em geral, os custos de pesticidas por acre em Mato Grosso foram consistentemente mais elevados do que em Illinois, especialmente devido à falta de geadas fortes e à maior umidade durante a estação de cultivo no Brasil.

Tal como em Illinois, os produtores do Mato Grosso enfrentam uma resistência crescente às ervas daninhas e um aumento dos custos dos herbicidas. Além disso, os produtores brasileiros devem lidar com a propagação de outras pragas devido às condições agravadas pelo clima tropical do Brasil, resultando na necessidade de usos adicionais de inseticidas e fungicidas. O aumento dos preços da soja nos últimos anos também proporcionou uma maior justificação económica para aplicações de controlo químico de pragas. No geral, como nos Estados Unidos, o uso de produtos químicos nas plantações de soja desempenhou um papel importante na expansão da produtividade da soja no Brasil (ver Eles irão atendê-lo diariamente14 de novembro de 2023).

READ  O vice-presidente do Brasil disse que o presidente Jair Bolsonaro saiu dos olhos do público porque 'não podia usar calças' devido a dermatite

Conclusão

Os custos diretos da produção de soja no Mato Grosso, o maior estado produtor de soja do Brasil, aumentaram a uma taxa média de 7,5% ao ano entre 2016 e 2023 – um ritmo muito semelhante aos custos diretos da produção de soja no centro de Illinois. Os custos diretos no Brasil atingiram níveis recordes na safra 2022/2023, mas as expectativas são de queda na safra 2023/2024, o que também está em linha com as projeções de custos em Illinois.

Os custos de fertilizantes e pesticidas por acre para a soja têm sido mais elevados no Mato Grosso do que no Illinois desde 2016. Isto foi impulsionado pelas flutuações cambiais, pelas flutuações do mercado global, pela forte dependência das importações de fertilizantes no Brasil e pelo aumento das pressões de pragas na região do Mato Grosso. clima tropical. Em contraste, os custos das sementes de soja foram mais elevados em Illinois do que em Mato Grosso. Os custos das sementes no Brasil são mais baixos e tendem a sofrer menos volatilidade devido a fertilizantes e pesticidas, uma vez que a maioria das sementes é cultivada localmente, protegendo os preços dos efeitos das flutuações cambiais.

Para os agricultores brasileiros, um dólar mais forte tem um efeito duplo: por um lado, custos mais elevados resultam de preços mais elevados de insumos importados, como fertilizantes e pesticidas; Por outro lado, também tende a aumentar as receitas ao aumentar a procura de exportação, tornando a soja brasileira relativamente mais barata e mais atrativa nos mercados globais.

reconhecimento

Os autores gostariam de reconhecer que os dados utilizados neste estudo provêm de fazendas do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), instituto privado, sem fins lucrativos, com sede em Cuiabá-MT. Há 25 anos no ramo, o IMEA conta com um corpo técnico multidisciplinar de 38 pessoas que escaneiam, processam e analisam microdados do setor do agronegócio mato-grossense. Para mais informações, visite o site do IMEA em www.imea.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *