Calçadas Portuguesas: Um olhar sobre as pitorescas calçadas de Portugal

Ao passear pelas ruas das vibrantes cidades portuguesas, os seus olhos podem ser atraídos por portas coloridas, arte de rua complexa e belos azulejos que adornam os edifícios. No entanto, muitas vezes a beleza está logo abaixo dos seus pés, na tradicional calçada de paralelepípedos conhecida como “Calça Portuguesa“.

A calçada portuguesa é mais do que um método de pavimentação; É um símbolo da cultura e da história portuguesa, profundamente integrado na estrutura dos belos centros históricos do país. Feitos de pequenas pedras cortadas à mão, esses pavimentos são projetados com padrões e desenhos intrincados, que vão desde formas geométricas simples até mosaicos complexos que retratam cenas históricas e culturais.

Apesar do seu apelo estético, a calçada portuguesa não deixa de ter considerações práticas. A sua superfície irregular pode ser escorregadia quando molhada, acrescentando uma camada de aventura ao seu passeio pelas ruas chuvosas de Portugal. No entanto, mesmo estes desafios contribuem para o encanto e carácter das cidades portuguesas, tornando cada passeio numa experiência única.

A influência da calçada portuguesa estende-se muito além das fronteiras de Portugal, indicando a sua presença em ex-colónias portuguesas como Angola, Brasil e Macau. Exemplos notáveis ​​incluem o famoso cais português da Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, onde os padrões preto e branco se tornaram sinónimo da identidade da praia, e a Praça do Senado, em Macau, onde o cais contribui para o ambiente histórico e cultural da zona.

Caminhar por essas ruas de paralelepípedos convida você a desacelerar e apreciar a beleza que o cerca, incluindo a arte sob seus pés. A calçada portuguesa incentiva um ritmo de vida mais descontraído, lembrando-nos de saborear o momento e o ambiente. É um convite para apreciar a vista sem pressa, mergulhando plenamente na experiência de estar numa das paisagens urbanas mais pitorescas do mundo.

READ  Resilient Routliffe conquista título mundial no Campeonato Português de Natação

O que é uma calzada portuguesa?

Calçada portuguesa se traduz literalmente como calçada portuguesa, mas calçada portuguesa geralmente se refere não a qualquer calçada, mas àquelas que são meticulosamente desenhadas com seixos quadrados pretos e brancos, dispostos em belos padrões artísticos.

Este método utiliza paralelepípedos de tamanho regular, geralmente feitos de calcário preto e branco, que são colocados em padrões diagonais. Uma das principais características desta técnica é a precisão com que estas pedras são colocadas; Idealmente, a distância entre eles não deve exceder 2 mm, demonstrando o excelente trabalho artesanal necessário para obter o efeito desejado.

Em zonas onde o calcário não está facilmente disponível, como as ilhas vulcânicas da Madeira e dos Açores, são utilizados materiais locais para preservar esta prática cultural. O basalto, rocha vulcânica de cor escura abundante nestas zonas, substitui o calcário tradicional, permitindo a continuidade da calçada à Portuguesa, reflectindo também a geologia local. Para adicionar vibração e profundidade aos padrões, pedras vermelhas às vezes são incorporadas aos designs.

A tecnologia de assentamento desses pavimentos envolve um alto grau de habilidade e talento artístico, e geralmente é realizada por artesãos conhecidos como “CalciteroEsses artesãos são especialistas em moldar e instalar pequenas pedras em designs elaborados, variando de padrões geométricos a imagens detalhadas que podem representar temas históricos, culturais ou naturais.

data

As origens da calçada portuguesa, o famoso cais português, remontam a um momento importante da história de Lisboa, dentro das muralhas do Castelo de São Jorge em 1842. Sob a liderança do Tenente-General Eusébio Cândido Cordero Pinheiro Furtado, um base militar estabelecida naquela época, um projeto de pavimentação inovador foi encomendado para fazer parte da fortaleza. Este desenho, um padrão em zigue-zague feito de pedras pretas e brancas, foi revivido pelos prisioneiros do forte, que involuntariamente se tornaram os primeiros praticantes do que se transformaria no venerável ofício do “calcitero”.

READ  Governo nomeia embaixadores para os Estados Unidos e Portugal | nndc

Esta experiência inicial, embora o estilo original já não exista, foi recebida com grande aclamação entre os lisboetas, marcando o início de uma nova era na estética urbana de Portugal. O sucesso desta empreitada levou à primeira aplicação de calçada portuguesa em grande escala na Praça do Rossio, em Lisboa, sob a supervisão da mesma equipa, Eusébio Furtado. A praça está decorada com um padrão ondulado conhecido como “mar largo” que simboliza a vastidão do mar, tema profundamente enraizado na cultura portuguesa.

A transformação da Praça do Rossio abriu um precedente e rapidamente as praças e calçadas de Lisboa e não só começaram a apresentar os intrincados mosaicos de calcário que hoje são sinónimo da paisagem urbana portuguesa. Esta técnica foi rapidamente adoptada noutras cidades portuguesas e acabou por se espalhar pelas colónias portuguesas.

Braça do Rocío – © Português

Projetos típicos

Tópicos mais populares Preste homenagem à profunda relação de Portugal com o mar, uma homenagem aos exploradores e marinheiros que desempenharam um papel fundamental na Era da Exploração de Portugal. Entre estes padrões destacam-se os motivos de navios e golfinhos, simbolizando o espírito de aventura e proeza marítima da cidade.

As rosas e a Cruz de Cristo também são predominantes, ambas profundamente interligadas com a herança marítima de Portugal, refletindo a importância histórica da Ordem de Cristo nas viagens marítimas do país.

Além dos temas náuticos, as obras de calçada lisboeta também se inspiram no mundo natural e apresentam representações de pássaros e flores. Estes designs homenageiam a diversidade da flora e da fauna de Portugal e celebram a beleza da natureza que enriquece a paisagem do país.

Uma homenagem à fadista Amalia Rodriguez – © Portugalist

Questões práticas

Embora os seixos de calcário sejam impressionantes, podem tornar-se extremamente escorregadios quando molhados, representando um grande perigo para os peões. Este deslize não é apenas um pequeno inconveniente; Pode ser muito perigoso, causando quedas e lesões.

READ  Regulador brasileiro encerra fiscalização especial do IRB Brasil Re

As lacunas entre as pedras ou quaisquer rachaduras que possam ter se formado ao longo do tempo podem facilmente prender-se nos saltos altos, aumentando a probabilidade de tropeçar ou torcer o tornozelo de forma alarmante.

Além disso, a condição irregular e às vezes esburacada das calçadas de paralelepípedos pode criar grandes obstáculos para quem usa rodas para se locomover. Malas, carrinhos de bebê e cadeiras de rodas enfrentam dificuldades nessas superfícies, tornando difícil para viajantes, pais com filhos pequenos e pessoas com dificuldades de locomoção navegarem pela cidade com facilidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *