Brasil vence a Copa do Mundo Feminina de 2027: o que sabemos sobre a candidatura bem-sucedida

O Brasil conquistou o direito de sediar a Copa do Mundo FIFA de 2027, após uma votação aberta realizada pelo Congresso da FIFA na Tailândia na sexta-feira. Embora a vitória fosse esperada nas semanas que antecederam a votação oficial, a decisão ainda é histórica – a primeira Copa do Mundo Feminina a ser realizada não apenas no Brasil, mas em toda a América do Sul.

O Brasil tem agora apenas cerca de três anos para concluir tudo o que planejou para sua candidatura. Entao, o que nos podemos esperar? Vejamos o seu próprio documento, o livro de propostas que submeteram à FIFA em Dezembro, que detalha a sua visão, plano logístico e projecções financeiras. Notavelmente, tudo isso deriva em grande parte do ponto de vista da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), embora a análise técnica da FIFA sobre a sua candidatura seja amplamente concordante – mas há uma bandeira vermelha da candidatura rival que pode ter desempenhado um papel importante na vitória do Brasil. . , também.

Os livros de candidatura geralmente não refletem a realidade que veremos daqui a três anos, mas ainda há muito valor em examinar o plano tal como está agora – bem como a forma como a CBF apresenta sua visão atual para o futebol feminino em o país tal como está. De pé agora, como eles imaginam o futuro.

Visão

A candidatura do Brasil é intitulada “Tão Natural quanto o Futebol”, uma referência a duas ideias-chave da federação: normalizar o futebol feminino no país e quebrar os preconceitos e barreiras sociais existentes em torno do futebol feminino, bem como um ângulo mais literal sobre a sustentabilidade ambiental. . A Confederação Brasileira quer usar a Copa do Mundo de 2027 como plataforma para questões ambientais como proteção climática e biodiversidade.

O caderno de candidaturas estabelece múltiplos objetivos para sediar a Copa do Mundo, mas os mais importantes são aumentar a participação no futebol feminino em todos os níveis, aumentar o envolvimento em torno do esporte e, talvez o mais importante aos olhos do Brasil, torná-lo financeiramente sustentável.

Um elemento notável do seu plano para fazer crescer o desporto é a exigência de que “todos os clubes (masculinos) que pretendam participar em competições nacionais e continentais de alto nível devem agora fornecer uma estrutura para uma equipa feminina”. O caderno de concursos não entra em detalhes sobre o que pode ser descrito como “estrutura” e se isso significa que uma equipa feminina deve ser enviada ou que nível de investimento deve ser garantido. Eles estabeleceram metas com a CONMEBOL para aumentar o número de seleções femininas no país.

O Brasil conta com o apoio de sua confederação para sua candidatura, o que é necessário logisticamente, mas também porque esta é a primeira vez que a Copa do Mundo Feminina é sediada na América do Sul.

O show book aborda abertamente o fato de o Brasil proibir o futebol feminino por uma década (mais sobre isso na próxima seção) e foca na ideia de normalizar o esporte, mas ainda havia algumas escolhas na linguagem do show book isso – de uma perspectiva externa – mostrou que este será um projeto realmente grande.

Por exemplo, a federação utiliza a sua história no lado masculino, com a fundação da selecção nacional em 1914, para justificar a sua candidatura antecipada. “Parece-nos natural que o Brasil, mundialmente famoso por suas notáveis ​​conquistas no futebol masculino, apresente sua proposta para sediar o evento de maior prestígio do esporte e do futebol feminino: a Copa do Mundo Feminina da FIFA de 2027.”

READ  Erling Haaland deixará Borussia Dortmund por £ 78 milhões neste verão - Paper Talk | notícias de futebol

Mas é na descrição da marca que as coisas ficam um pouco estranhas. “A principal inspiração da nossa marca BID é a água, que simboliza a essência da mulher”, diz o trecho. “Tanto a mulher quanto a água têm fluidez, mas possuem uma força imparável e a capacidade de gerar vida. Para o logotipo, a artista se inspirou nas formas curvas, nos movimentos fluidos e nas cores que simbolizam a água e a feminilidade.

Situação do jogo no Brasil

O Brasil não é o único país a proibir as mulheres de jogar futebol, mas tem a infeliz honra de ser o único país da lista a impor esta proibição por lei. Em 1941, o então presidente do Brasil, Getúlio Vargas, emitiu o Decreto nº 3.199 que não só instituiu o Conselho Nacional de Esportes do país, mas também proibiu as mulheres de participarem de esportes organizados de qualquer espécie, inclusive futebol. Demorou até 1979 para ser cancelado. A primeira seleção para a Seleção Brasileira Feminina ocorreu em 1986, apenas um ano após as primeiras partidas do USWNT em 1985.

“No entanto, o desejo de jogar futebol sempre esteve arraigado na natureza das mulheres brasileiras”, diz o livro de exposição nesta seção de história. “Foi necessária a liderança e a determinação das pioneiras do futebol feminino no Brasil para abrir as primeiras portas.”

A Confederação Brasileira prometeu desenvolver uma estratégia para o desenvolvimento do futebol feminino para a FIFA, que estava prevista para terminar no final de março. Resumo do livro de nomeações: “A estratégia se concentrará em seis pilares, com o objetivo de tornar o futebol acessível a meninas e mulheres, fortalecer a pirâmide competitiva, melhorar a trajetória das seleções nacionais, fortalecer o ecossistema de talentos, alcançar a sustentabilidade financeira e moldar o identidade das mulheres brasileiras”.

O Brasil teve o mesmo crescimento em audiência e participação que muitos outros países. Em setembro de 2022, o Corinthians contou com 41.070 espectadores no Estádio Nuoquimica pelo Campeonato Brasileiro, estabelecendo um novo recorde. (Não está no livro de doações: vencedoras do título feminino Ele recebeu apenas cerca de US $ 200.000 dólares americanos Em comparação com a bolsa do título masculino de US$ 6,3 milhões.)

Logística

O Brasil também se candidatou para sediar a Copa do Mundo de 2023, antes de eventualmente retirar a candidatura em 2020 – citando o impacto financeiro da pandemia de Covid-19 e apoiando a Colômbia. Esta licitação foi originalmente planejada para oito cidades-sede. Desta vez o Brasil almeja 10.

A Confederação Brasileira propôs que o torneio de 2027 ocorra de 24 de junho a 25 de julho – e a federação também prometeu suspender todos os principais torneios nacionais e os dois primeiros escalões das ligas profissionais masculina e feminina durante este período. Isso garante que os estádios e locais de treinamento serão gratuitos, mas como também apontam os redatores: “Podemos garantir que toda a atenção do ecossistema do futebol brasileiro estará voltada para esta competição internacional”.

É um bom ponto de venda.

Incluía uma proposta de calendário para o torneio nessas datas e nas dez cidades-sede: Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Cada estádio selecionado nas cidades-sede da Copa do Mundo Masculina de 2014 foi construído ou reformado na época.

READ  Manchester United e Arsenal são os 'clubes mais bem colocados' para vencer a Copa do Mundo de Portugal com o surgimento de um novo preço

Mas o Brasil – pelo menos no momento da apresentação do livro de propostas – não planeja usar a capacidade total dos estádios existentes. Ao reduzir a capacidade, a CBF diz que consegue atender a média de público esperada para a Copa do Mundo Feminina. “Isso nos permitirá aumentar ou diminuir as capacidades com base no sorteio final e nos requisitos para futuras vendas de ingressos”, afirma o livro de licitações.

Não só reduz a capacidade global de cada estádio, mas a capacidade é ainda mais reduzida devido aos “assentos matadores” – assentos que não podem ser vendidos porque estão obstruídos ou removidos para áreas VIP ou plataformas de mídia.

Abaixo está uma análise de cada estádio, incluindo capacidade bruta versus “capacidade líquida” (o número final proposto listado no livro de propostas após a conclusão dos assentos).

Estádios do Brasil 2027 e sua capacidade líquida

Cidade sede estádio Temperatura média (F) Capacidade total Capacidade líquida

Belo Horizonte

Estádio Mineirão

77

66.658

25.700

Brasília

Estádio Mané Garrincha

75

69.910

40883

Cuiabá

Arena Pantanal

79

42.788

23800

Fortaleza

Arena Castelão

79

57876

22.505

Manaus

Arena da Amazônia

88

42.924

24.508

Porto Alegre

Estádio Beira Rio

66

49.055

25.830

Recife

Arena de Pernambuco

79

45.440

20.602

Rio de Janeiro

Estádio do Maracanã

79

73.139

66.167

salvador

Arena Fonte Nova

77

47.915

36.260

São Paulo

Arena Corinthians

70

47.252

42.707

Aborda enormes peças logísticas, como hotéis e transportes – e há uma promessa chave escondida aqui: “A candidatura do Brasil também se compromete a fornecer transporte gratuito de e para todos os estádios para os clientes, incluindo todos os espectadores, através da celebração de acordos com o transporte público responsável. corpos.” Nas cidades-sede. Aprendemos lições importantes com a Copa do Mundo FIFA de 2014 e as negociações para fornecer transporte gratuito aos torcedores do torneio serão uma prioridade fundamental.

Finança

No entanto, todos sabemos que o dinheiro é o verdadeiro motor de muitas conversas sobre quem organiza grandes torneios e porquê.

O Brasil observa que os custos de operação do seu programa feminino ainda são maiores do que as receitas recebidas, mas a federação investe “uma quantia anual de aproximadamente US$ 25 milhões em suas competições e seleções nacionais”.

O Brasil estima: Se todos os ingressos em todas as categorias forem vendidos (1,7 milhão de ingressos no total, conforme planejado), isso significaria cerca de US$ 54,7 milhões em receitas (todos os valores no livro de licitações são fornecidos em dólares americanos). Eles ganharão outros US$ 29,5 milhões com ofertas de hospitalidade e cerca de US$ 1,5 milhão cada com vendas de mercadorias e alimentos e bebidas. A última parte de sua estimativa de cerca de US$ 100 milhões para receitas relacionadas à competição é de US$ 10 milhões em patrocínios.

No ano passado, no final da Copa do Mundo de 2023, o presidente da FIFA, Gianni Infantino, disse que o torneio, organizado conjuntamente pela Austrália e pela Nova Zelândia, atingiu o ponto de equilíbrio ao gerar mais de US$ 570 milhões. Este número foi ofuscado pelo discurso de Infantino em que disse às mulheres: “Escolha as batalhas certas“.

READ  Previsão de sexta-feira brasileira incluindo Bahia vs. Syndicate -

Numa avaliação técnica divulgada pela FIFA no início deste mês, o Brasil está determinado a obter uma “posição comercial forte”, em grande parte porque os custos de realização do Campeonato do Mundo deverão ser cerca de 50 milhões de dólares inferiores às previsões da FIFA para o ano anterior. O Brasil também recebe um impulso do seu fuso horário, mantendo os horários dos jogos convenientes para os telespectadores da América do Norte e do Sul, e se os jogos forem mantidos relativamente cedo à noite, também não seria tão ruim para a Europa.

“Quando se trata de receitas relacionadas aos estádios, espera-se que a candidatura Brasil 2027 ultrapasse 2,1 milhões de ingressos durante o torneio, graças à proposta de grande capacidade do estádio”, diz a análise da FIFA, com esses números aumentando em relação ao apresentado no livro de candidaturas do Brasil. – embora ainda… Possível se a capacidade do estádio for ampliada para mais perto da sua capacidade total real. No entanto, na secção dedicada à sua análise comercial, foi mencionado um valor de 1,7 milhões de vendas esperadas de bilhetes.

“Embora a capacidade total de assentos – e, portanto, o estoque vendável – seja a menor das duas ofertas (devido à pequena capacidade do estádio), isso é compensado por fortes preços de venda”, conclui a FIFA – embora permaneça a possibilidade de que a capacidade de assentos possa mudar Se houver demanda, o Brasil terá os próximos três anos para tentar resolver isso.

Os “riscos legais” da oferta da NG desempenharam um papel na vitória do Brasil

A principal revelação desta avaliação técnica foram as avaliações de risco: das duas candidaturas concorrentes, apenas a candidatura conjunta europeia recebeu uma potencial marca vermelha da FIFA e, fundamentalmente, foi devido a questões jurídicas.

“Foram identificados vários riscos jurídicos”, começa a avaliação – e analisando os dois densos parágrafos onde estes riscos são resumidos, resume-se a um conceito muito simples: os três governos da Bélgica, dos Países Baixos e da Alemanha podem não ter permitido A FIFA terá o “controle operacional esperado” da Copa do Mundo de 2027 e poderá “realocar certos custos para a FIFA”.

Em suma, no momento da avaliação técnica, os três governos tiveram a oportunidade de mitigar estes riscos para a FIFA se “implementassem o seu compromisso de cooperar com a FIFA para cumprir os requisitos do torneio”.

Foi a bandeira vermelha da FIFA que garantiu que o Brasil saísse da avaliação técnica com uma pontuação geral mais alta, 4,0, em comparação com a proposta do BNG, de 3,7.

Mas é a análise técnica da FIFA que mais uma vez reforça a ideia principal: foi a vez do Brasil e da América do Sul.

“Em relação às oportunidades de sediar, vale destacar que, caso a candidatura seja bem-sucedida, a América do Sul será a sede da competição pela primeira vez, o que poderá ter um enorme impacto no futebol feminino da região.”

O show foi um sucesso, como esperado. Agora começa o trabalho para garantir que o impacto será tão dramático quanto prometido.

(Imagem superior: Manan Vatsyayana/AFP via Getty Images)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *