Brasil finca os dentes no futebol inspirado na manga

Manpool encontra seu lugar entre a grande variedade de jogos nas praias do Rio, onde os brasileiros amantes do esporte se entregam a atividades como futebol, tênis de praia e vôlei (Pablo Porciuncola)

Manpool encontra seu lugar entre a grande variedade de jogos nas praias do Rio, onde os brasileiros amantes do esporte se entregam a atividades como futebol, tênis de praia e vôlei (Pablo Porciuncola)

O hobby infantil de jogar mangas uns para os outros na Amazônia se tornou um verdadeiro esporte em BrasilAté encontrou lugar entre os populares jogos de praia disputados no Rio de Janeiro.

Nas quentes areias douradas de Copacabana, os jogadores lançam simultaneamente duas bolas em forma de manga através de uma rede, num teste rápido, divertido e cansativo de reflexos.

O novo jogo chamado “manball” – uma combinação das palavras manga e bola – está lentamente se espalhando pelas praias do Rio, onde os brasileiros amantes de esportes praticam atividades como futebol, tênis de praia e vôlei.

A ideia é de Rui Hildebrando, baseada em uma brincadeira que ele e seu irmão mais novo, Rogério, brincavam quando eram crianças, na cidade amazônica de Belém do Pará.

“No início era uma brincadeira simples entre nós: meu irmão Rogério me jogava uma manga e eu jogava de novo, mas depois de um tempo achei que seria mais divertido se nós dois jogássemos uma manga ao mesmo tempo. ” Roy Hildebrando (44 anos) à AFP.

Depois que o jogo se espalhou entre os jovens da cidade, Hildebrando criou as regras oficiais do jogo e em 2004 decidiu formar a Federação Brasileira de Manpol.

O jogo agora é jogado com bolas de poliuretano em formato de manga, cerca de 3 vezes menores que uma bola de rugby, em um campo retangular em qualquer superfície.

As regras são simples: você ganha um ponto se a bola passar por cima da rede e cair no chão ao lado do adversário – desde que você também consiga pegar a outra bola lançada para o seu lado. Se ambas as bolas caírem, o ponto se repete.

Para vencer, uma equipe deve vencer dois sets de 12 pontos. Cada partida pode ser disputada com até três jogadores, e a partida dura entre 15 e 25 minutos.

“É um esporte muito dinâmico e o fato de haver duas bolas o torna muito divertido”, disse Adriana Matias, 46 anos, professora de educação física que pratica desde 2007. “É cansativo, mas é uma questão de prática”.

Duas décadas depois, Manpool é um grande sucesso no Brasil, com cerca de 2.000 jogadores em um país de mais de 200 milhões de habitantes. Existem associações regionais no Rio de Janeiro, na capital Brasília, no nordeste do Ceará e no norte do Pará.

A cidade de Belém declarou o MANPOOL um “sistema esportivo” oficial em 2016.

Hildebrando disse que houve ofertas do jogo em outros 11 países, na América do Sul, Europa e Ásia.

Em junho do ano passado, foi disputado um jogo para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante visita oficial a Belém, que sediará as negociações climáticas da COP30 em 2025.

“É um esporte inclusivo, que pode ser praticado por pessoas de qualquer idade ou classe social”, disse Katia Lisa, presidente da Federação Rio Manpul, que sonha que o esporte se torne um esporte olímpico. “O Manpul tem tudo para crescer. .” dia.

raa/app/fb/nro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *