Brasil demite seu técnico Diniz após sofrer nas eliminatórias da Copa do Mundo

A Confederação Brasileira de Futebol demitiu Fernando Diniz do cargo de técnico da seleção masculina na sexta-feira, segundo uma fonte local, após uma série de resultados medíocres para a Seleção nas eliminatórias para a Copa do Mundo. Os torcedores esperavam que Diniz, 49 anos, que também treina o Fluminense, clube carioca, trouxesse de volta o emocionante “futebol do samba” que tornou famoso o pentacampeão mundial.

Mas desde que assumiu em julho, ele tem lutado para se classificar, com o Brasil atualmente em sexto lugar nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2026, a última vaga de qualificação direta do continente.

A decisão ocorreu um dia depois de um juiz do Supremo ter ordenado a reintegração do presidente da Federação Brasileira, Ednaldo Rodriguez, ao cargo, depois de ter sido destituído por decisão de um tribunal de primeira instância em 7 de dezembro, após constatar irregularidades na sua eleição em 2022.

A FIFA e a Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL) recusaram-se a aceitar a demissão de Rodriguez e alertaram a Confederação Brasileira sobre a possibilidade de privá-lo de participar de competições internacionais caso houvesse interferência externa em seus assuntos.

Rodriguez, o primeiro presidente negro da história da Confederação Brasileira de Futebol, liderava as negociações para assinar contrato com o técnico do Real Madrid, Carlo Ancelotti.

Esta oferta fracassou no dia 29 de dezembro, quando Ancelotti estendeu o seu contrato com o gigante espanhol.

Diniz conquistou apenas duas vitórias durante os seis meses que passou como técnico do Brasil e sofreu três derrotas consecutivas nas eliminatórias para a Copa do Mundo, inclusive em casa para a arquirrival Argentina, em novembro.

READ  A Engie Brasil Energia (OTCMKTS: EGIEY) foi rebaixada para Neutral no JPMorgan Chase & Co.

Reportagens da mídia brasileira sugeriram que seu sucessor seria Dorival Junior, atual técnico do São Paulo.

Divisão de papéis

Diniz foi nomeado técnico do Brasil por um ano quando substituiu o técnico sub-20 Ramon Menezes, que substituiu o técnico Tite (2016-2022) interinamente após a decepcionante eliminação da Seleção nas quartas de final. Copa do Mundo 2022 x Croácia.

Favorito dos torcedores pelo jogo ofensivo criativo que instalou no Fluminense, campeão da Copa Libertadores de 2023, Diniz não conseguiu replicar esse feito com a seleção nacional, gerando críticas de que dividir seu tempo entre clube e seleção nacional era demais.

Sua gestão começou bem, vencendo a Bolívia por 5 a 1 e depois derrotando o Peru por 1 a 0.

Mas o empate sem gols em casa com a Venezuela prenunciou tempos mais difíceis.

Desde então, o Brasil sofreu uma série de lesões, incluindo a do astro Neymar, que rompeu os ligamentos do joelho na derrota por 2 a 0 para o Uruguai em outubro e deve ficar afastado dos gramados por vários meses.

Isso foi seguido por uma derrota por 2 a 1 para a Colômbia, e então o prego no caixão de Diniz: a primeira derrota do Brasil em casa nas eliminatórias da Copa do Mundo, para a Argentina de Lionel Messi, em um barulhento estádio do Maracanã, enquanto torcedores vaiavam o técnico perdedor.

O Brasil enfrenta Espanha e Inglaterra em amistoso em março próximo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *