Brasil concorda com nova regra de preços de transferência

Em 10 de maio, o Senado Federal brasileiro aprovou legislação para implementar um sistema de preços de transferência para se alinhar às diretrizes estabelecidas pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em dezembro de 2022. A legislação é uma medida provisória, o que significa que o próximo passo será será que entre em vigor como lei após análise do presidente brasileiro. A adoção das regras poderia ajudar o Brasil a aderir à OCDE e aliviar alguns problemas relativos à confiabilidade de alguns impostos brasileiros para fins fiscais dos EUA.

Os aspectos do novo quadro de preços de transferência incluem:

  • Uma introdução ao princípio da plena concorrência
  • Implementar todos os métodos de preços de transferência de acordo com os padrões da OCDE
  • Abolição das restrições de dedução de capital
  • Introduzir procedimentos de acordo mútuo e acordos antecipados de preços

Uma vez aprovada pelo Presidente brasileiro, esta medida será publicada em lei pouco depois e entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2024. No entanto, os contribuintes residentes poderão adotar o novo regime de preços de transferência já a partir de 1º de janeiro de 2023, informando a Câmara de Representantes das autoridades fiscais brasileiras no período de 1º de setembro a 30 de setembro de 2023.

Uma vez implementada, esta mudança poderá ser um passo para a adesão do Brasil à OCDE, algo que tem sido discutido desde 2018. Um critério chave para inclusão é a implementação de um novo sistema de preços de transferência alinhado com os padrões da OCDE. Essa mudança também poderá ter impactos significativos na atual interação do sistema tributário brasileiro com outras jurisdições. Por exemplo, alterações no sistema de preços de transferência do Brasil podem aliviar certas questões relativas à confiabilidade de certos impostos brasileiros para fins de imposto de renda federal dos EUA.

READ  Copa América: Brasil em 'negociações' para sediar torneio — apenas 13 dias antes da data de início

Para mais detalhes, veja a história da Grant Thornton no Brasil,”O Senado brasileiro aprova uma nova regra de preços de transferência e a questão provisória poderá em breve ser transformada em lei.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *