Brasil aumenta a segurança na região Yanomami da floresta amazônica

Vista geral de uma área de mineração ilegal de ouro após uma operação de limpeza pelas forças e agências de segurança do governo brasileiro na Terra Indígena Yanomami, Estado de Roraima, Brasil. Reuters

De acordo com autoridades na terça-feira, o Brasil fortalecerá a segurança e apoiará iniciativas para a região Yanomami, que inclui terras ancestrais que há muito são alvo de uma variedade de operações ilícitas, principalmente impulsionadas pela mineração descontrolada de ouro.

Este ano, o governo planeja investir 1,2 bilhão de reais (US$ 245 milhões) em segurança e ajuda para a região Yanomami, a maior reserva indígena do Brasil e localizada perto da fronteira com a Venezuela.

Como parte da proposta, será criada uma sede de segurança local com o objectivo de unificar as iniciativas de segurança federais contra a mineração indiscriminada de ouro, uma questão importante na região.

Os garimpeiros ilegais têm invadido a região Yanomami, aproximadamente do tamanho de Portugal, há décadas. No entanto, nos últimos anos, as intervenções prejudiciais aumentaram como resultado do desmantelamento das medidas de proteção ambiental pelo ex-presidente Jair Bolsonaro.

A mineração ilegal e a desflorestação também agravaram a crise humanitária da região, que tem sido caracterizada pela subnutrição e outras doenças, como a malária, bem como pelo abuso sexual. Os rios das terras Yanomami também enfrentam poluição por mercúrio, que é particularmente prejudicial à vida selvagem da região.

Cerca de 31 mil indígenas vivem na área, a maioria Yanomami, mas também há membros da comunidade Yekwana.

Há um ano, o presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva lançou uma operação de emergência para expulsar milhares de garimpeiros informais, conhecidos localmente como garambiros, e ajudar as comunidades indígenas.

READ  Novos destinos de verão para o Aeroporto de Faro

O chefe da Casa Civil de Lula, Rui Costa, descreveu o plano como uma próxima etapa de “implementação de medidas permanentes e estruturais nessa área”, em declarações após uma reunião governamental que discutiu o assunto.

Outras medidas incluem a distribuição de alimentos e a criação de um novo centro de saúde centrado nas necessidades médicas dos povos indígenas.

($ 1 = 4,8996 riais)

Publicado em: 10 de janeiro de 2024 às 10:34:26 IST

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *