Brasil agora tem mais pacientes COVID-19 antigos em unidades de terapia intensiva

O Brasil registrou mais de 66.500 mortes por Covid-19 em março. (um arquivo)

Rio de Janeiro:

O número de pacientes com Covid-19 com menos de 40 anos em terapia intensiva no Brasil ultrapassou a população mais velha no mês passado, disse um pesquisador no domingo, em meio a um aumento mortal causado em parte por uma nova forma do coronavírus.

O Projeto Brasileiro de Terapia Intensiva disse que o número de pessoas com 39 anos ou menos em unidades de terapia intensiva com Covid-19 em março aumentou acentuadamente para mais de 11.000, ou 52,2 por cento do total.

Isso foi acima de 14,6 por cento do total de pacientes da UTI no início da pandemia e cerca de 45 por cento de setembro a fevereiro.

Disse o Dr. Edirlon Resende, co-coordenador de um projeto, uma iniciativa da Associação Brasileira de Medicina Intensiva (AMIB).

Ele disse que vários fatores podem estar impulsionando o aumento.

Pacientes com mais de 80 anos, cujo número caiu de 13,6 por cento para 7,8 por cento do total nas unidades de terapia intensiva do Brasil em março, agora estão amplamente vacinados.

Ele disse que os jovens têm maior probabilidade de contrair o vírus, seja porque precisam sair de casa para trabalhar ou porque se acredita que correm menos riscos.

Outro fator pode ser a nova variante brasileira, conhecida como P1, que, dizem os especialistas, foi parcialmente responsável pelo número de mortos da Covid-19 no país em março.

Os números sugerem que o P1, que pode reinfectar pessoas infectadas com a cepa original do vírus, também pode ser mais virulento, disse Resende.

READ  Twitter em pontos no cruzamento das Olimpíadas de Tóquio em 2020

“Os pacientes que chegam às unidades de terapia intensiva agora são mais jovens, não têm doenças pré-existentes e estão desenvolvendo casos mais graves do vírus também”, disse ele à AFP.

O número de pacientes de UTI sem doenças pré-existentes aumentou quase um terço em março, para 30,3 por cento do total.

A proporção de pacientes que colocam ventiladores atingiu um recorde de epidemia de 58,1 por cento em março, de acordo com dados do projeto.

O Brasil registrou mais de 66.500 mortes de Covid-19 em março, mais do que o dobro do recorde mensal anterior para o país duramente atingido em julho de 2020.

A doença matou 351.000 pessoas em um país de 212 milhões de pessoas, número de mortes que perde apenas para os Estados Unidos.

(Esta história não foi editada pela equipe NDTV e é gerada automaticamente a partir de um feed compartilhado.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *