As ações tóxicas da Europa com o Brasil – DW – 02/03/2023

A partir daqui, o resíduo tóxico é enviado para a Europa na forma de laranja, café e produtos de soja. Nada é feito para impedir isso. Porque é que a UE continua a permitir a exportação lucrativa de pesticidas proibidos da Europa para as economias emergentes?

O documentário explora um ciclo comercial pouco conhecido: a Alemanha, um país cada vez mais contrário às toxinas ambientais, continua a ser o principal importador de café brasileiro contendo resíduos significativos de pesticidas. Pessoas em toda a Europa bebem suco de laranja feito de frutas brasileiras altamente contaminadas. Os responsáveis ​​pela pulverização das lavouras na América do Sul estão pagando um preço alto no que diz respeito à sua saúde. Os chefes de estado europeus ficam muito felizes em criticar o Brasil pela exploração madeireira na Amazónia, mas sabiamente fazem vista grossa quando as empresas químicas dos seus países fazem bons negócios lá.

Mais da metade dos agrotóxicos introduzidos recentemente no mercado brasileiro são considerados tão prejudiciais à saúde pública e ao meio ambiente que são até proibidos na União Europeia. Esses produtos – fabricados na Europa e cujo uso é proibido lá – são bem-vindos e agradecidos no Hemisfério Sul. A ONG suíça Public Eye afirma que os fabricantes europeus de pesticidas geram quase metade do seu rendimento com a venda de produtos altamente perigosos a países em desenvolvimento e emergentes.

O documentário mostra que os decisores políticos europeus não estão a fazer quase nada para resolver esta questão. As inspeções nas fronteiras são raras, a legislação permite a presença de resíduos químicos nos alimentos e, acima de tudo, os intervenientes económicos estão empenhados em manter o status quo.

READ  Epixode vende Gana para o mundo com desempenho impressionante na Salvador Capital Avro no Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *