Analistas esperam que a moeda brasileira se fortaleça este ano

Últimas notícias do banco central relatório de foco, Uma pesquisa semanal com os principais bancos e empresas de investimento mostrou uma melhora geral nas expectativas do mercado para a economia brasileira em 2024. As expectativas de inflação e taxa de câmbio, bem como as estimativas da balança comercial, aumentaram significativamente.

Os analistas esperam que o índice oficial de inflação termine o ano em 3,87 por cento, abaixo dos 3,93 por cento de há duas semanas. Mesmo com o regresso da inflação alimentar, principalmente devido a questões climáticas, o desafio de aproximar os preços da meta de 3,5% este ano deverá ser mais fácil.

O relatório Focus desta semana também mostra que os analistas esperam uma moeda brasileira mais forte até o final do ano, com as taxas do dólar caindo abaixo do limite psicológico de R$ 5 – mais precisamente, R$ 4,95.

Isto deve-se em grande parte a uma ligeira melhoria no cenário económico global – com a Reserva Federal dos EUA a começar a cortar as taxas de juro este mês -, à reforma fiscal recentemente aprovada e ao regresso esperado de investidores estrangeiros ao país, apesar do crescente défice fiscal.

As instituições financeiras e empresas de investimento também esperam que o Brasil alcance um excedente comercial de pelo menos 75 mil milhões de dólares em 2024, um aumento de 6 mil milhões de dólares em relação à previsão feita há duas semanas. Muitos analistas começaram a encarar o excedente comercial recorde do ano passado, de 98,8 mil milhões de dólares, como uma mudança estrutural.

Isto significa que o resultado de 2024 pode ser ligeiramente inferior ao resultado do ano passado, em parte devido à menor procura chinesa, mas também significa que os níveis de comércio exterior do Brasil permanecerão mais elevados. É uma previsão muito mais optimista do que a previsão da semana passada de 70,5 mil milhões de dólares, mas bem abaixo da previsão oficial do governo federal de cerca de 95 mil milhões de dólares.

READ  Brasil mira no mercado global de hidrogênio verde

Entretanto, as previsões de crescimento para a economia brasileira permaneceram inalteradas, com a previsão média do PIB para 2024 a situar-se em 1,59 por cento. Os analistas aguardam a divulgação do IBC-Br de dezembro, índice do Banco Central considerado um indicador confiável do PIB oficial, para revisar seus números na próxima quinta-feira.

Fabian Zeola Menezes

Fabian, ex-editor-chefe do LABS (Latin American Business Stories), tem mais de 15 anos de experiência em reportagens sobre negócios, finanças, inovação e cidades no Brasil. Este último recentemente a trouxe de volta à sala de aula e fez com que ela fizesse mestrado em Gestão Urbana pela PUCPR. Na TBR, você monitora a política econômica, as empresas revolucionárias e as pessoas que impulsionam a inovação na América Latina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *