A futura 'solução final' para o 'problema racial' do Brasil na PAFF – People's World

Tais Araújo e Alfred Enoch / Mariana Viana

O premiado diretor e co-roteirista Lazaro Ramos Ordem Executiva (Medida Provisória) Ele incorpora o que mais adoro no Festival de Cinema Africano (PAFF): dá aos cinéfilos a oportunidade de ver filmes, muitas vezes de destinos distantes ao redor do mundo, que de outra forma não teríamos a oportunidade de ver. Estas são muitas vezes produções que valem a pena e são bem feitas, e o PAFF dá-lhes acesso e uma posição segura em Los Angeles, possivelmente a capital do cinema mundial (embora não necessariamente a capital do “cinema mundial” per se).

O 29º Festival Anual Pan-Africano Virtual de Cinema e Artes 2021 acontece de 28 de fevereiro a 14 de março.

Ordem executiva Foi filmado no Brasil (e está em português, com legendas em inglês). Esta vasta nação consiste numa extensa tapeçaria de etnias. De acordo com o fascinante novo documentário de Céline Cousteau Tribos no limiteexistem aldeões indígenas na Amazônia que, no século 21, ainda não tiveram contato com estranhos (e com suas doenças devastadoras!).

A mistura racial do Brasil também inclui outro fato importante que muitos americanos não sabem: o Brasil tem a maior população de ascendência africana no Hemisfério Ocidental, aproximadamente 75 milhões de pessoas em uma população de mais de 211 milhões de pessoas.

(Como o PAFF é muito “pan” e ecuménico na sua perspectiva e inclusão dos negros, dos EUA à África nativa, às Caraíbas, à América “Latina” à Melanésia, etc., este festival abrange filmes dessas regiões e, claro, de Brasil, o gigante da América do Sul. O alcance pan-étnico do PAFF é outra grande coisa sobre este festival de cinema. Mas estou divagando.)

Com uma grande população negra, o Brasil tornou-se em 1888 o último país do Hemisfério Ocidental a abolir a escravatura, um quarto de século depois de Lincoln ter assinado a Proclamação de Emancipação. (Vários antigos proprietários de escravos nos Estados Unidos mudaram-se para o Brasil após a Guerra Civil, numa tentativa de reconstruir as suas fortunas.) Como se pode imaginar, o racismo continua sendo um problema para os brasileiros contemporâneos, sejam eles indígenas ou afrodescendentes.

READ  10 coisas para fazer em um sábado em Los Angeles [7-8-2023]

Tudo isso é o pano de fundo para uma trama emocionante Ordem executivaque é semelhante ao romance de George Orwell 1984 E Aldous Huxley Admirável mundo novoÉ uma visão distópica de uma sociedade futura. Num futuro não muito distante, os brasileiros de ascendência principalmente europeia impõem uma “solução” para a desigualdade racial na qual o Brasil encontra uma maneira muito mais barata de lidar com a questão das dispendiosas reparações do que pagar “salários atrasados” aos descendentes dos escravizado. Isto se deve à religião histórica de seus ancestrais.

em Ordem executiva, esta “compensação abolida” convidaria as pessoas com o chamado “melanismo elevado” a receberem, em vez disso, um bilhete de ida “de regresso” a África, onde se estabeleceriam em países como Angola (também anteriormente colonizado por Portugal). Inicialmente, o programa governamental 'Return Yourself' é voluntário. (Lembra-se da proposta de “autodeportação” de imigração de Mitt Romney durante a campanha presidencial de 2012?)

Mas é claro que a maioria dos negros brasileiros nunca pôs os pés na África e nem fala as mesmas línguas que a maioria dos africanos. Como o líder da resistência Antonio (ator anglo-brasileiro Alfred Enoch Harry Potter Franquia de filmes e Como escapar impune de um assassinato Série de TV) declara: “O Brasil também é meu! Nasci aqui!”

Assim, o assustador chamado “Ministério do Retorno”, de sonoridade orwelliana, rapidamente intensificou a sua campanha, prendendo negros e deportando-os à força para África, quer quisessem ou não. Isto leva a motins, à brutalidade policial e ao surgimento de “bunkers africanos” subterrâneos, onde os negros fogem e se escondem para escapar à perseguição e à deportação forçada.

Estes “refúgios africanos” lembram os pântanos e outros assentamentos para onde os escravos fugitivos, os “quilombos”, escaparam e se estabeleceram em muitas províncias do continente americano, incluindo o Brasil.

Ordem executiva Centra-se em Antonio, advogado; Sua esposa, a médica grávida Capito (a linda Tayce Araujo, que é casada com Helmer Ramos e interpreta a protagonista da emocionante série de TV Chica da Silva, uma novela derivada do popular filme brasileiro de 1976 de mesmo nome sobre uma mulher sexualmente adepta); Seu colega de quarto e amigo, o jornalista André (Cio Jorge, que deixou filmes brasileiros como o filme de 2002 Cidade de Deus e a autobiografia anti-ditadura de 2019 Margiela Para filmes de Hollywood como 2004 Vida Aquática com Steve Zissou); E a amiga branca de André, Sarah (Mariana Xavier). O filme elegante e bem elaborado acompanha os integrantes do quarteto na tentativa de resistir ao Ministério da Repatriação no Rio de Janeiro.

Abraçando a diversidade no Brasil, Ordem executivaA complexa história do filme inclui personagens asiáticos (houve uma imigração significativa de vários países asiáticos para o Brasil, e não se esqueça que o vizinho Peru tinha um presidente de ascendência japonesa), além de uma subtrama gay e referências ao diabetes. Outros atores brasileiros veteranos no talentoso elenco incluem Paulo Chun, Jessica Ellin, Rincon Sapiencia, Adriana Esteves e o ator inglês William Russell, cujos extensos créditos incluem 1963. A grande fuga1978 Super homenE sendo o pai de Alfred Enoch.

Para aqueles que podem se importar Ordem executivaSe a conspiração de repulsão for absurda, eles deveriam levar em conta o fato de que o atual presidente de extrema direita do Brasil, Jair Bolsonaro, é um extremista tão autoritário e idiota que foi apelidado de “Trump dos Trópicos” – e nós somos todos muito familiarizados com as visões vis de Donald sobre questões de raça e imigração, bem como com a sua tendência ditatorial de governar por decreto através de “ordens executivas”. À luz disto, e apesar da sua provocação e emoções, a questão da repatriação forçada de Ramos e dos seus colegas pode não ser tão exagerada a ponto de ser ingénua. O título do filme também ecoa o título de outro filme com carga política, 1973 Ação executivasobre uma conspiração de direita para assassinar JFK, co-escrita por Dalton Trumbo e Donald Fried.

READ  Torcedores "insolentes" do Brasil apoiam o argentino Messi

O currículo de Ramos inclui atuação em diversos filmes, como Década de 2000 Mulher por cima, estrelado por Penelope Cruz, bem como alguns créditos de redação e produção. com Ordem executivaCom um enredo instigante sobre injustiça racial, altos valores de produção e excelente atuação, a estreia de Ramos na direção marca uma partida auspiciosa para um cineasta a ser reconhecido no cenário internacional nos próximos anos. Os cinéfilos devem ficar de olho neste diretor em ascensão e neste drama envolvente que se passa em um futuro próximo. E por falar nisso, continue assistindo até a sequência de créditos finais também.

Ordem executiva Foi indicado ao prêmio de “Melhor Filme” no Festival Internacional de Cinema de Moscou e ganhou o “Prêmio de Roteiro” no Festival de Cinema Indie de Memphis, onde também foi indicado na categoria “Melhor Longa-Metragem”. O filme de 103 minutos é baseado na peça ele dormiuEUdeclaraçãoae! (Não para a Namíbia!), de Aldry Anunciação. Este filme de fantasia é um filme brasileiro altamente recomendado e incorpora o espírito e a habilidade do cinema PAFF.

Para mais informações sobre Ordem executiva ser visto aqui. Para obter informações sobre o PAFF, consulte aqui.


contribuinte

Ed Rumble


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *