A economia do Brasil melhorou durante o primeiro ano de mandato de Lula

Rio de Janeiro

A economia do Brasil melhorou durante o primeiro ano de Wallace

O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, gosta de se gabar de ter tido um bom primeiro ano de mandato.

categoria=”revisão”>

A economia melhora e o Congresso aprova um projeto de lei de reforma tributária há muito aguardado, criadores de problemas Quem quis derrubá-lo está agora preso, e seu antecessor e inimigo, Jair Bolsonaro, está proibido de concorrer à presidência até 2030.

No entanto, o líder de 78 anos está a lutar para consolidar o seu apoio entre os cidadãos e legisladores. Alguns reveses importantes, incluindo uma série de votações no Congresso para anular o seu veto, sinalizaram que o futuro de Lula pode ser menos produtivo num Brasil quase igualmente dividido entre os seus apoiantes e os de Bolsonaro.

O consultor político Thomas Truman disse: “A polarização política no Brasil atingiu tal grau que cristalizou as opiniões dos eleitores de Lula e Bolsonaro fora do domínio da economia”. “Esses grupos estão separados por visões de mundo muito diferentes, e os valores que moldam a identidade de cada grupo são mais importantes do que os preços dos alimentos ou as taxas de juros.”

Lula tomou posse em 1º de janeiro2023, depois de derrotar Bolsonaro por uma pequena margem em outubro de 2022. No início do seu mandato de quatro anos, apenas um quarto dos membros do Congresso do Brasil ficou do seu lado. Os líderes empresariais e da oposição temem que Lula tenha ido demasiado para a esquerda.

O ex-ministro da Fazenda Paulo Guedes, entre outros conservadores, previu que as políticas de Lula em breve deteriorariam a economia do Brasil, como as da Argentina e da Venezuela, atingidas pela crise.

READ  Câmara dos Deputados do Brasil aprova projeto de lei para aumentar tetos de gastos para programa de bem-estar social Por Reuters

categoria=”revisão”>

A economia brasileira deverá crescer 3 por cento este ano, em vez dos 0,6 por cento esperados pelos economistas de mercado.

A inflação parece estar sob controlo em cerca de 4,7% em termos homólogos, ligeiramente acima das expectativas, mas longe dos números de dois dígitos dos últimos anos. A taxa de desemprego caiu para 7,5% em novembro, um ponto percentual abaixo do dia em que Bolsonaro deixou o cargo.

A Bolsa de Valores de São Paulo bateu recordes em dezembro, ultrapassando os 134 mil pontos pela primeira vez em sua história. A moeda real do Brasil também está subindo em relação ao dólar americano.

Tudo isso trouxe de volta o Lula otimista, ansioso por viajar para o exterior, desaparecido durante quase uma década de depressão pessoal.

No entanto, algumas sondagens mostram um apoio consistente ao presidente, entre 38% e 40% desde Janeiro de 2023.

Os números não aumentaram mesmo após o anúncio do aumento do salário mínimo em 2024.

categoria=”revisão”>

Cerca de um terço dos brasileiros vê a presidência de Lula como medíocre, enquanto outro terço não gosta fortemente da forma como ele governa a poderosa economia da América Latina, que mais uma vez subiu na lista das 10 maiores economias do mundo após anos de afundamento.

Os apoiadores de Lula estão em casa, mas os apoiadores de Bolsonaro ainda estão nas ruas.

Embora o seu número não tenha sido o mesmo do passado recente, os poucos milhares de manifestantes que exigiram que o Congresso destituísse Lula sob acusações de corrupção mostraram a resiliência da base política do líder de extrema-direita.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *