A cidade alpina brasileira de Campos do Jordão, capital dos festivais

A cidade alpina brasileira de Campos do Jordão é há muito tempo palco de festivais dedicados à música e às artes cênicas, e também sediou eventos da indústria audiovisual, com destaque para a mostra anual de próximos lançamentos, Winter Showcase. Agora no dia 13sim No ano passado, foi suspenso por dois anos devido à pandemia.

Com o lançamento do FestCampos, novos espaços expositivos estão sendo criados, afirma Sergio Sá Leitão, ministro da Cultura do Estado de São Paulo. Construído no ano passado, o Auditório do Parque Capivari é um anfiteatro semi-exterior com 3 mil lugares, enquanto o cinema construído mais recentemente, o Dr. Alem, com capacidade para cerca de 300 lugares. Isto complementa o local mais antigo, que é a mais nova sala de cinema. Auditório Claudio Santoro, construído há 50 anos, tem capacidade para 800 pessoas. Exibições gratuitas de 20 a 22 de maio no Dr. Alem produziu filmes vencedores do Oscar como “Coda”, “Dune”, “Encanto” e “King Richard”.

Localizada a apenas duas horas e meia de carro da capital financeira do Brasil, São Paulo, Campos do Jordão simboliza a diversidade das paisagens do país. “Somos mais do que apenas as praias do Rio de Janeiro”, diz Sá Leitão com ironia.

Os novos cinemas são uma boa notícia, já que a indústria de exibições do Brasil foi duramente atingida, assim como os EUA e grande parte do mundo sofreram bloqueios.

Sá Leitão estima que mais de 100 telas, em sua maioria administradas por pequenas empresas independentes, já estejam subexibidas e fechadas no Brasil devido à pandemia. A grande questão é se existe vida para outros filmes além dos filmes de super-heróis; “Os filmes de orçamento médio e de arte estão indo mal, e me pergunto se os filmes brasileiros conseguirão sobreviver nas bilheterias.”

READ  Como o ‘Brasil’ de Terry Gilliam, que hoje completa 30 anos, influenciará o próximo ‘Star Wars’

Devido aos cortes nas iniciativas federais, São Paulo se tornou um paraíso para cineastas, tanto locais quanto internacionais. O estado aumentou seu programa de descontos para R$ 40 milhões (US$ 8 milhões) e seu investimento anual em cultura para US$ 300 milhões (de US$ 200 milhões), que inclui a indústria audiovisual e o FestCampos. “O FestCampos é o nosso projeto preferido”, acrescenta.

De 13 a 22 de maio, a Paróquia São Bento, na Praça Capivari, em Campos de Jordão, recebeu todas as noites apresentações de videomapping de grandes artistas. A projeção de vídeos em objetos ou superfícies irregulares é organizada pelo Liquid Media Lab.

“Com o apoio do Ministro da Cultura e Economia Criativa do Governo de São Paulo e da Câmara Municipal de Campos de Jordão, o FestCampos deveria ser lançado antes da pandemia; “Finalmente está decolando para a comunidade local”, afirma Fernanda Martinez, curadora e produtora do FestCampos Talks. “A feira de inverno também é uma grande oportunidade de networking, então ter o FestCampos ao mesmo tempo criou uma tempestade perfeita para os players internacionais olharem para o mercado brasileiro”, acrescenta.

Campos do Jordão

Campos do Jordão
Cortesia: Prefeitura Municipal de Campos do Jordão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *