Zelensky renova guerra à corrupção em meio a escândalos | notícias de corrupção

O presidente promete mudanças no governo após denúncias de corrupção nos ministérios da Defesa e da Infraestrutura.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse que faria mudanças no governo e nos serviços de segurança como parte de uma nova repressão à corrupção, quase um ano desde que a Rússia invadiu o país.

Em seu discurso de vídeo na noite de segunda-feira, Zelensky não nomeou os dirigentes que seriam substituídos, mas indicou que uma reorganização era iminente.

“Já existem decisões de pessoal – algumas hoje, outras amanhã – relativas a funcionários de vários níveis em ministérios e outras estruturas do governo central, bem como em regiões e no sistema de aplicação da lei”, disse o presidente.

Zelensky foi eleito de forma esmagadora em 2019 com promessas de reformar o governo e combater a corrupção, que atormentava o país muito antes de Moscou enviar suas tropas pela fronteira em 24 de fevereiro do ano passado.

A Ucrânia classificou-se em 122º lugar entre 180 países no Índice de Percepção de Corrupção da Transparency International em 2021.

No fim de semana, descobriu-se que o Departamento de Defesa estava comprando comida para soldados a preços exorbitantes, levantando questões sobre as compras do governo.

No domingo, a polícia anticorrupção disse ter detido um vice-ministro da infraestrutura sob suspeita de receber suborno de US$ 400.000 para facilitar a importação de geradores para a Ucrânia durante a guerra em setembro passado. O vice-ministro também foi demitido.

A mídia ucraniana informou que vários ministros e altos funcionários podem ser demitidos enquanto Zelensky se move para simplificar o governo.

Um aliado sênior do presidente disse anteriormente que funcionários corruptos seriam presos “ativamente”.

Zelensky também anunciou na segunda-feira que os funcionários do governo seriam proibidos de fazer viagens pessoais ao exterior.

READ  Crianças na siderúrgica Mariupol perdem dentes e cabelos por estresse: relatório

A mudança ocorreu após revelações de que o vice-procurador-geral Oleksiy Simonenko saiu de férias para a Espanha em dezembro e janeiro usando um Mercedes de um empresário de Lviv. Citando fontes policiais, o jornal online Ukraineska Pravda informou que Simonenko havia renunciado.

Na segunda-feira, uma comissão parlamentar concordou em endurecer os regulamentos sobre compras e anunciar alguns preços em tempos de disputa.

O ministro da Defesa, Oleksiy Reznikov, foi citado pela mídia como tendo dito ao comitê que os relatórios de corrupção no ministério foram baseados em um “erro técnico” sem fundos mútuos.

O Bureau Nacional Anticorrupção disse que está investigando o possível crime de apropriação de fundos ou abuso de poder em conexão com a aquisição, que foi estimada em mais de 13 bilhões de hryvnias ucranianas (US$ 352 milhões).

A economia da Ucrânia encolheu um terço no ano passado, e o país depende muito da ajuda financeira ocidental. Os doadores, incluindo o Fundo Monetário Internacional e a União Europeia, pediram repetidamente mais transparência e melhor governança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.