Vacinas começam a chegar às favelas do Rio, o que resulta em glorificação nas redes sociais comunitárias


Foto: SelmaSouzaPhoto / Voice of Communities

Clique aqui para o português

Este é o nosso último artigo sobre Covid-19 e seus impactos nas favelas. Também faz parte de RioOnWatchde #VoicesFromSocialMedia string, Que coleta opiniões postadas nas redes sociais por moradores de favelas e ativistas sobre eventos sociais e tópicos que surgem.

Fotos de praias lotadas e dezenas de profissionais de saúde protegidos nas redes sociais retratam o cotidiano durante a epidemia no Brasil.

O primeiro feriado de 2021 no Rio de Janeiro – o dia em que a sensação de calor atingiu 43,1 ° C (109,6 ° F) de acordo com Alerta Ryo– Multidões de cariocas para as praias da região sul, sem usar máscara facial, mesmo com um Um número crescente de casos Dos feridos e mortes de Covid-19 na capital. Mas a história só será lembrada como mais um dia de medo e raiva nestes 11 meses desde o início da pandemia. No dia 20 de janeiro, feriado dedicado a São Sebastião, padroeiro da cidade – dezenas de fotos de profissionais de saúde recebendo sua primeira vacina do CoronaVac, a vacina Covid-19 produzida pela empresa biofarmacêutica chinesa Sinovac e pelo Instituto Brasileiro Butantan, invadiu o social mídia Junto com a hashtag #VivaOSUS (#LongLiveSUS, em homenagem ao sistema público de saúde do Brasil).

É realmente um prazer ver a equipe da Santa Casa de Campo Grande sendo vacinada. Eles trabalharam incansavelmente na ala Covid do hospital por quase um ano, colocando suas vidas em risco para salvar outras pessoas. Imagens como esta podem ser o “novo normal”. #LongLiveSuS

Inclui coreografia para a música “Boom Boom Tam Tam” de Mac Futi da Dra. Nayara Rocha, médica da Complexo do AlemãoClínica de Saúde da Família:

fortificado. #SUS #LongLiveSUS

A música, que se tornou um meme, foi Foi remixado pelo MC em nome da campanha de vacinação: “Vacina atraente mexe com a mente / quem está ao seu redor. Esta vacina sem vergonha vai curar um grupo de vidas e salvar muitas pessoas. Vem aqui Vacina completa / Vem aqui Vacina completa / Vem cá Vacina completa completa.” hino para o BUT Vaccine Institute. Apesar da letra hilariante da música, Mac Viotti, que gravou uma nova versão de seu vídeo dentro do Instituto Butantan, lembrou ao público que a foto foi tirada no braço, não nas nádegas (Bunda)

Plano de vacinação da cidade Oficialmente iniciado Na terça-feira, 19 de janeiro, no Hospital Municipal Ronaldo Gazola em Akari Favelas e em algumas casas de repouso. Na quarta-feira, 20 de janeiro, a campanha foi intensificada com equipes de profissionais de atenção primária que levam a vacina para instituições de longa permanência e com especialistas em hospitais públicos e privados que trabalham com a Covid-19, além de seus pares da Clínicas de Saúde da Família E centros de saúde municipais.

READ  Promotor brasileiro processa a Trafigura por violação de contratos da Petrobras: declaração

Apenas 34% dos profissionais de saúde serão vacinados. Ainda na fase inicial, essa fase de vacinação trouxe uma nova esperança e alívio para algumas famílias, como o jornalista Dane Mendes.

Tuíte original: Minha mãe acabou de ser vacinada contra Covid-19! Ela é Agente Comunitária de Saúde do Complexo do Alemão! Defenda o SUS!

Segundo tweet: eu choro dos meus olhos! Depois de tudo que minha família passou, e da perda da minha avó e do meu tio logo em seguida, ver minha mãe foi uma das primeiras pessoas no Brasil a se vacinar é muito para mim!

Em abril de 2020, o jornalista, morador da favela do Complexo do Alemão, usou o Twitter para buscar ajuda e expor Sistema público de saúde do Rio de Janeiro entra em colapso em meio à pandemia. Em seis dias, ela perdeu a avó e o tio, ambos vítimas do Covid-19 e da falta de ajuda adequada do estado.

Além de ficar muito emocionada, Daiene também postou uma foto de sua mãe em forma de crocodilo, compartilhando um meme que tomou conta das redes sociais. O meme é uma crítica sarcástica de Declaração do presidente Jair Bolsonaro em 17 de dezembro de 2020: “Se você pegar a vacina e virar crocodilo, aí está o seu problema”, em mais uma tentativa de deslegitimar a ciência e produzir vacinas para imunizar a população do Brasil e do mundo.

Vacina
E não há sinal de transformação
Brincadeiras à parte, que momento único e feliz!
Em menos de um ano dessa epidemia que devastou o planeta, receber minha injeção assume um significado muito importante. #LongLiveSUS #longlivescience # Butantan

Rio de Janeiro: Até 23 de janeiro, 115.000 pessoas haviam sido imunizadas

O número é muito baixo considerando os mais de seis milhões que vivem na capital carioca. No entanto, esta primeira fase da vacinação significa alguma luz no fim do túnel, há mais de dez meses na pandemia para os muitos profissionais que trabalham na linha de frente do combate à Covid-19, líderes comunitários e ativistas de favelas.

Tuíte original do Fala Roça: A agente comunitária de saúde Adalgisa da Silva, 60, foi a primeira pessoa em #Rocinha a receber a injeção # COVID-19. Ela foi vacinada na manhã desta quarta-feira, 20 de janeiro, no Ambulatório de Saúde da Família local. (E ela não se transformou em um crocodilo!)

Tweet de Michelle Silva: Tenho flashbacks de tudo o que passamos em Rosenha nos últimos meses. Há uma luz no fim do túnel!

Imagens de esperança e grande emoção:
A equipe da Clínica de Saúde da Família Akari recebeu a vacina #CoronaVac

Meios de comunicação de favelas, entre eles os meios de comunicação Grupo AkariE a Roça falouE a Viva a vazante e o fluxo E a Voz das ComunidadesRegistrar a vacinação dos profissionais de saúde nas unidades de saúde da família de suas comunidades.

Tuíte original do Voz das Comunidades: Clyde Oliveira, 47, foi o primeiro a receber a foto. A Agente Comunitária de Saúde da Clínica da Família Zilda Arns, moradora de Casinhas com dois filhos, perdeu a mãe para a Covid-19.

Resposta ao tweet original: Ao todo, 270 funcionários serão imunizados pela Clínica da Família Zilda Arns. A primeira fase do plano de vacinação abrange os profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate ao Coronavírus.

Muitos fatores de saúde foram vacinados E vaciná-los com a primeira dose de CoronaVac são moradores de favelas, como Maré de notícias apontou. No entanto, a mídia comunitária afirma que não é hora de relaxar com protocolos de segurança para evitar a contaminação do vírus: o uso de máscaras faciais, o distanciamento social, a lavagem das mãos com água e sabão ou o uso de álcool ainda são medidas necessárias.

Tuíte original de Mary Vive: Hoje é um dia de esperança
A residente e profissional de saúde Amanda Andrade, que trabalha há anos na Mary, deu-nos esta notícia na manhã desta quarta-feira, 20 de janeiro. Nesta primeira etapa, a vacina Covid-19 vai para os profissionais de saúde.

Segundo tweet: A gente sabe que está chegando devagarinho, e ainda não tem data pra todo mundo fazer a foto, mas só o fato de já estar começando a nos encher de esperança, não é verdade, favela?
Ah, e continue usando essa máscara e álcool a 70%. A epidemia ainda existe.

#LongLiveSUS

Segundo dados da secretaria estadual de saúde, 28.215 morreram de coronavírus e 4.90821 infectados em 21 de janeiro Covid-19 no painel unificado da favela, * Que inclui mais de vinte organizações da sociedade civil e caucuses, até 26 de janeiro, registrados 29.310 moradores de favelas ficaram feridos e 3.198 morreram Por causa do vírus Corona.

É importante ressaltar que, nessa primeira etapa da vacinação, os residentes não devem ir aos postos de saúde para buscar a vacinação. Atualmente, o plano de vacinação está direcionado a grupos de prioridade primária, compostos por: profissionais de saúde que trabalham diretamente com pacientes Covid-19; Trabalhadores da atenção primária participando da campanha de vacinação; Profissionais de saúde que atuam em unidades de terapia intensiva e pronto-socorro, afastados do trabalho por idade ou comorbidades; Idosos, pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência ou profissionais que trabalham nesses locais; E os povos indígenas e Quilombulas.

de acordo com Hoje JornalDas 487,5 mil doses do Coronavírus que chegaram ao estado do Rio de Janeiro na segunda-feira, 18 de janeiro, a capital recebeu 231.840 doses. Este total representa as duas doses necessárias para cada uma das 115.000 pessoas que a prefeitura planeja vacinar até sábado, 23 de janeiro.

Com 1.382 mortes em 24 horas, O Brasil tem mais de 212.000 mortes de Covid-19De acordo com uma contagem conjunta da mídia de 20 de janeiro.

*ambos RioOnWatch E Covid-19 no Favelas Unified Dashboard são iniciativas de ONGs Sociedades estimulantes (Catcom).


o apoio RioOnWatchImprensa local incansável, crítica e em evolução, organizando reuniões comunitárias online e apoio direto às favelas Clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *