Um terço das empresas em Portugal estão localizadas em 3 setores

No relatório Informa Business by Data, Informações D&B Diz que “durante 2023 foram criadas 51.320 empresas em Portugal, o maior registo de sempre, ultrapassando pela primeira vez as 50 mil”.

“A formação de empresas apresenta uma forte recuperação desde a queda que assistimos em 2020, no primeiro ano da pandemia. Comparativamente a 2022, o crescimento esperado em 2023 é de 4,7% (+2.302 formações de empresas).”

Destacam-se os setores dos transportes, construção, alojamento e restauração, responsáveis ​​por “um terço dos novos negócios criados em 2023”, embora o crescimento na formação de empresas tenha sido “transversal à grande maioria dos setores”.

Segundo a Informa D&B, na área dos transportes, o crescimento na constituição de empresas deveu-se ao transporte ocasional de passageiros em veículos ligeiros, sendo esta “a atividade que registou o maior aumento no número de empresas em 2023”.

“Desde a entrada em vigor do regime TVDE em 2018, esta atividade tem liderado o crescimento das formações empresariais em Portugal, atingindo um dos valores mais elevados em 2019 (3.239 formações empresariais) e agora em 2023 um novo máximo (4.791 formações societárias)”, refere a Informa D&B.

O setor da construção também manteve a tendência de crescimento observada desde 2020, e em 2023, registou “o valor de construção mais elevado dos últimos 10 anos”, com destaque para a construção de edifícios (residenciais e não residenciais).

No alojamento e restauração, registou-se um crescimento de 10% face a 2022, já que este setor apresentou um dos maiores “aumentos na criação de negócios, sobretudo na restauração tradicional”.

Ele recusa

As atividades imobiliárias, tecnologias de informação e comunicação e indústria estiveram entre os setores que diminuíram na criação de empresas em 2023, com quedas de 17%, 2% e 3%, respetivamente.

READ  Lenda brasileira Marta confirma despedida do Mundial Feminino

“As atividades imobiliárias e de TIC refletem a tendência de crescimento dos últimos anos. Quanto às indústrias, que são responsáveis ​​pelo maior volume de negócios e exportações do setor empresarial, a queda em 2023 reforça a tendência decrescente observada na última década.

No ano passado fecharam 13.362 empresas, o que representa uma diminuição de 9% face aos valores do ano anterior, e os dados, segundo a Informa D&B, embora provisórios, mostram que analisando a tendência dos últimos meses, “espera-se que as empresas fechem no ano passado “. 2023 superem os de 2022, representando o segundo ano consecutivo de aumento deste indicador.

As insolvências também têm estado a aumentar, aumentando 18% face a 2022, com 1.917 novas operações, um crescimento que, segundo a Informa D&B, “segue-se a dois anos com valores anormalmente baixos neste indicador e que reflete o impacto de muitos insolvências”. Medidas de apoio iniciadas durante o período pandémico.”

“O número de insolvências ainda é 13% inferior ao de 2019, último ano antes da pandemia”, destaca a Informa D&B, destacando que “o aumento deste indicador foi transversal a quase todos os setores de atividade, com exceção do alojamento”. e restaurantes.” Agricultura, outros recursos naturais, energia e ambiente, que registaram menos falências do que em 2023.”

A Indústria foi o setor com maior aumento no número de insolvências em 2023 (+148 insolvências; +47%), “um aumento que representa mais de metade do aumento total”, destacou a Informa D&B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *