Três jogadores brasileiros fogem da Ucrânia de ônibus e a pé

26 Fev (Reuters) – Três jogadores brasileiros que jogam no clube de futebol espanhol SK Dnipro 1 fugiram do país devastado pela guerra e cruzaram a fronteira para a Romênia, informou a mídia social neste sábado.

A fuga deles ocorreu quando o presidente Jair Bolsonaro disse, nas redes sociais, que seu governo não interromperia os esforços para evacuar brasileiros da Ucrânia.

Os jogadores de futebol Gabriel Bosanillo, Bale e Felipe Perez postaram mensagens dizendo à família e aos fãs que estão seguros.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

“Fizemos isso, depois de dois dias de horror e muito estresse, conseguimos sair… a caminho de casa”, disse Bell, que usou apenas um nome, no Instagram em um vídeo postado em Romani. lado da fronteira. “Nós passamos por isso, estamos bem agora.”

Outros jogadores brasileiros tentavam deixar a Ucrânia de trem.

Vários jogadores, muitos dos quais jogam pelo Shakhtar Donetsk, postaram fotos de si mesmos e de suas famílias em um trem fora do país.

Um deles, Marlon Santos, postou um clipe no Instagram dizendo: “Ainda estamos orando. Ainda temos um longo caminho a percorrer. Tudo vai dar certo”.

Eles não disseram para onde o trem estava indo.

“Peço a todos os brasileiros nos territórios em disputa que permaneçam firmes, sigam as instruções e nos relatem quaisquer incidentes. Conheço as dificuldades, mas não pouparemos esforços para resolvê-las”, escreveu Bolsonaro no Twitter. Ele disse que 50 brasileiros fugiram da Ucrânia por terra.

O governo brasileiro pediu a cerca de 500 brasileiros na Ucrânia que mantenham contato com sua embaixada.

READ  O programa Portugal Masters foi adiado devido a restrições de viagens no contexto da pandemia COVID-19

No sábado, a Força Aérea Brasileira disse ter dois aviões cargueiros KC-390 prontos para auxiliar na evacuação de cidadãos brasileiros.

“Agora temos que ajudar nosso povo que ainda está na Ucrânia”, escreveu Felipe Pires, um dos três que fugiram para a Romênia. “Eles realmente precisam de nossa ajuda e apoio.”

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Andrew Downey) Edição de Hugh Lawson, Leslie Adler e Cynthia Osterman

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *