Torino Film Lab Título ‘The Accident’ Sai Trailer, Primeira Vez no Cine Ceará – Variedades

O editor, roteirista e diretor brasileiro Bruno Carbone conta uma história de fusão de distanciamento humano em “O Acidente” (“O Acidente”), compartilhando um trailer exclusivo com diverso Onde o filme começa a avançar no circuito dos festivais.

Concluído no Torino Film Script Lab 2018, o primeiro longa reflexivo de Carbone está em competição ao lado de outros sete projetos, incluindo “La Piedad” de Eduardo Casanova e “Vicenta B” de Carlos Lechuga no 32º Cine Ceará em Fortaleza, Brasil, que encerra até hoje. Também está em exibição no Festival do Rio e acaba de ser selecionado para o Tallinn Black Nights First Feature Competition.

Filmado em sua cidade natal, Porto Alegre, e co-escrito por Marcella Elhar Bordin, o filme analisa as formas microscópicas em que o trauma se desenrola sob a superfície e questiona a natureza desesperada de uma sociedade movida pelo ego que abraça a desconfiança em vez da defesa de graça e conexão.

Em “O Acidente”, Joanna (Carol Martins) é vítima de um atropelamento depois de antagonizar um motorista agressivo que a baniu do trânsito. Na superfície, ela parece abalada, mas consegue escapar ilesa. Com a intenção de despistar junto com sua companheira Cecília (Karina Sen), um vídeo viral surge na internet, obrigando-a a abordar o ocorrido. A dupla relutantemente entra na vida da ofensora Elaine (Gabriella Greco), seu ex-marido Kleber (Marcelo Crawshaw) e o filho Maicon (Louis Philippe Xavier), um introvertido diretor de cinema em ascensão.

A inspiração para o filme veio de um vídeo que encontrei mostrando uma ciclista sendo carregada no capô de um carro conduzido por uma mulher acompanhada de sua família. Esse vídeo era mais ridículo, e não propriamente violento. O ciclista não era doeu nas imagens, mas nessa situação bizarra dá para perceber o sentimento de hostilidade, e a polarização política que dividia a sociedade brasileira, impossibilitando qualquer tentativa de diálogo”, transmitiu Carbone em nota.

READ  RECAP: As estrelas brilham no belo jogo de R10 e RC3 no DRV PNK

“Esse fenômeno não é exclusivo do Brasil. Se pode ser percebido em todo o mundo, a atitude atual que chama a desconfiança do ‘outro’ e o desejo de proteger seu território, propriedade e valores … Embora o vídeo tenha sido menos brutal do que muitas situações que vemos todos os dias nas notícias, este pequeno incidente parecia intensificar a complexidade social que estava me intrigando.”

Depois que seus pais sofreram um acidente, a perspectiva de Carbone mudou no vídeo para incluir as complexidades desse trauma íntimo e súbito. Em “O Acidente”, isso é exibido quando os personagens se tornam mais fixados um no outro e momentâneos, perspicazes e muitas vezes incapazes de compreender totalmente a gravidade do momento presente.

Bruno Carbone

“É um acidente real quando não podemos antecipá-lo. Algo que não podemos ver, entra em nosso campo de visão, não podemos prever seus efeitos sobre nós. Um acidente sempre muda alguma coisa, e o espectro constante desse possibilidade é o que assusta. Como uma vez vi uma pequena colisão causada por diferenças, agora estava testemunhando um encontro de mudança de vida que definitivamente mexeria com algo nos participantes”, afirmou Carbone.

Produzido por Paola Wink e Jessica Luz e suas produtoras Vulcana Cinema (“Rifle”) e Tokyo Filmes (“Quarto De Espera”), o trailer do filme abre com Joanna agarrada firmemente ao capuz, o rosto contorcido de medo e então a cena cortes em sua moto, distorcida e presa.Sob o pára-choque dianteiro, os pneus do carro giram pelas ruas molhadas da cidade.

Quando o carro parou bruscamente, Joanna foi forçada a descer a calçada escorregadia enquanto nos apresentávamos a Maicon, segurando seu celular para registrar a surpreendente cadeia de eventos, sua mãe ao volante.

Com Joanna sofrendo apenas ferimentos leves, o filme dá uma reviravolta surpreendente, enquanto cada personagem examina seu papel no acidente e as profundezas do outro personagem. Eles se tornam cada vez mais entrelaçados, próximos e depois separados, navegando pelos detalhes da vida cotidiana de uma nova perspectiva.

O teaser termina quando Maicon passa os dedos pelas rachaduras na tela do celular e exclama solenemente que nada é sempre o que parece e que os olhos muitas vezes nos enganam. Reflexões notáveis ​​e profundamente relevantes reverberam, levando a um acompanhamento mais próximo da narrativa para garantir que cada detalhe pungente seja observado.

O desespero pensativo domina a tela. Uma paisagem monótona cheia de chuva envolve o herói a cada passo. Está ficando cada vez mais difícil administrar suas decisões.

“Quero criar no espectador o mesmo sentimento místico que encontro na personagem de Joanna”, disse Carbone. “Alguém que teme um confronto que possa colocar em risco sua estabilidade, mas ao mesmo tempo sente um certo desejo pelo tipo de noivado que a leva por caminhos desconhecidos.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *