Rússia lança ataques aéreos na Ucrânia antes de um feriado | Notícias da guerra entre a Rússia e a Ucrânia

A preocupação aumentou com a segurança da usina nuclear de Zaporizhia, pois os civis receberam ordens de evacuar.

A Rússia lançou dezenas de mísseis e drones contra Kiev e outras cidades ucranianas, em meio a crescentes preocupações com a segurança da usina nuclear de Zaporizhia, a maior da Europa.

O último ataque aéreo ocorre quando Moscou se prepara para comemorar o Dia da Vitória, um importante feriado russo que comemora a derrota da Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial e geralmente inclui uma parada militar na Praça Vermelha.

Pelo menos cinco pessoas ficaram feridas nos ataques aéreos na capital na manhã de segunda-feira, disseram autoridades da cidade, enquanto um armazém cheio de alimentos em Odessa foi incendiado por mísseis russos. Explosões foram relatadas em várias outras regiões ucranianas.

A Rússia também intensificou o bombardeio da devastada cidade de Bakhmut, de acordo com o mais alto general ucraniano encarregado da defesa da cidade, já que espera obter ganhos antes do feriado de 9 de maio. Anteriormente conhecida como uma cidade de mineração de sal, Bakhmut era considerada um alvo principal para garantir seu avanço para o leste.

Testemunhas disseram à agência de notícias Reuters que ouviram várias explosões em Kiev, onde autoridades locais disseram que os sistemas de defesa aérea estavam repelindo os ataques.

O prefeito Vitali Klitschko disse em seu canal no Telegram que três pessoas ficaram feridas em explosões no distrito de Solomyanskyi, em Kiev, e outras duas ficaram feridas quando destroços de drones caíram no distrito de Sviatoshyn, ambos a oeste do centro da capital.

O departamento militar de Kiev disse que no distrito de Shevchenkivsky, no centro da cidade, os destroços do drone pareciam ter atingido um prédio de dois andares, causando danos, e também pousado na pista do Aeroporto Juliani, um dos dois aeroportos de passageiros da Ucrânia. capital.

READ  O governador nigeriano disse que 279 estudantes sequestrados foram libertados

Serhiy Prachuk, porta-voz do departamento militar em Odessa, postou em seu canal no Telegram imagens de um grande prédio em chamas no que ele disse ser um ataque russo a um armazém, entre outras coisas.

Depois que os alertas de ataque aéreo soaram por horas em quase dois terços da Ucrânia, também houve relatos da mídia sobre os sons de explosões na região sul de Kherson e na região de Zaporizhia, no sudeste, onde está localizado o complexo nuclear de Zaporizhia.

Houve relatos de drones caindo em algumas áreas de Kiev, onde foram abatidos por sistemas de defesa aérea [Oleksandr Khomenko/Reuters]

O governador distrital empossado por Moscou ordenou a evacuação de civis, inclusive de Innerhudar, cidade onde vive a maior parte dos trabalhadores da usina nuclear.

O diretor-geral da AIEA, Rafael Grossi, passou meses tentando convencer as autoridades russas e ucranianas a criar uma zona de proteção ao redor da usina para reduzir o risco de desastre. As usinas nucleares precisam de energia constante para operar seus sistemas de resfriamento e evitar colapsos, e a usina de Zaporizhzhia foi fechada seis vezes desde o início dos combates.

O governador da região empossado pela Rússia, Yevgeny Paletsky, disse no domingo que mais de 1.500 pessoas foram evacuadas de duas cidades não especificadas na região. Na sexta-feira, ele ordenou que os civis deixassem 18 cidades ocupadas pelos russos, incluindo Innerhudar. O Estado-Maior ucraniano confirmou que a evacuação de Enirodar estava em andamento.

As forças russas assumiram a fábrica logo após a invasão da Ucrânia no ano passado, mas os funcionários ucranianos continuaram a administrar as instalações durante a ocupação, às vezes sob forte pressão.

Nas últimas duas semanas, os ataques a alvos controlados pela Rússia também se intensificaram, especialmente na Crimeia, que Moscou invadiu e anexou em 2014.

READ  Uma mulher britânica desapareceu de um iate nas Ilhas Virgens por mais de uma semana

A Ucrânia, sem confirmar qualquer participação nesses ataques, diz que a destruição da infraestrutura inimiga é uma preparação para sua tão esperada ofensiva terrestre.

A Rússia lançou sua invasão total da Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022, chamando-a de “operação militar especial” para defender a Rússia de supostos “neonazistas” na Ucrânia.

Kiev e seus aliados dizem que a invasão foi um ataque não provocado a um estado soberano.

Milhares foram mortos e milhões forçados a fugir como resultado dos combates.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *