Reféns amarrados a carros enquanto ladrões visam bancos no Brasil

Os agressores visaram bancos na pequena cidade de Araçatuba, no estado de São Paulo, na manhã de segunda-feira.

Na tentativa de distrair a polícia, os ladrões espalharam bombas por toda a cidade. Um homem ficou gravemente ferido quando os artefatos explosivos explodiram e perdeu os pés, segundo a polícia.

Durante a confusão, os ladrões fortemente armados capturaram três bancos, mantendo reféns no processo.

A polícia disse que os reféns foram amarrados aos tetos e capôs ​​de 10 carros para servir como escudos humanos.

Três pessoas morreram no acidente – duas delas foram vítimas e a outra suspeita de ladrão, segundo a Polícia Militar de São Paulo, informou a Polícia Militar de São Paulo. Outros cinco ficaram feridos e dois suspeitos foram presos e encarcerados.

Um esquadrão de mais de 380 policiais está agora procurando mais de uma dúzia de suspeitos que ainda estão foragidos. O estudo foi suspenso na cidade, que tem cerca de 200 mil habitantes, após as explosões.

“que eles [the criminals] “Ele tinha informações privilegiadas de que um banco tinha uma grande soma de dinheiro, então eles foram à cidade”, disse o ministro da Segurança Pública de São Paulo, Álvaro Batista Camilo, à CNN Brasil, afiliada da CNN Brasil.

A polícia disse que mais de 20 homens fortemente armados realizaram o ataque, acrescentando que os ladrões usaram drones para monitorar as ruas quando eles entraram e fugiram da cidade.

A Reuters acrescentou que as pessoas foram instadas a não deixar suas casas até que todos os explosivos fossem encontrados e desarmados.

Este é o último de uma série de assaltos a bancos no Brasil. Duas batidas semelhantes ocorreram em dezembro passado, em dias consecutivos, nas cidades de Cametá e Criciúma, segundo a Reuters, ambas nas agências do Banco do Brasil.

READ  Trailer de 'Pelé': Futebolista icônico ganha destaque no documentário da Netflix

Uma versão anterior desta história relatou incorretamente o site do Estado de São Paulo. É no sudeste do Brasil.

Rodrigo Pedroso, da CNN, escreve de São Paulo e Liann Coleraine escreve de Londres.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *