Portugal avança para transformar operários gigantes em empregados

Portugal parece prestes a se tornar a última fronteira dos direitos dos trabalhadores na economia europeia de empregos temporários.

Os legisladores estão pressionando para fazer cumprir as regras que exigem que as empresas de entrega e de entrega de alimentos, como Uber e Glovo, concedam direitos trabalhistas a certos motoristas e mensageiros.

Se aprovado, Portugal tiraria uma página dos livros da Espanha e do Reino Unido. no início deste ano, Espanha aprovou uma lei Enquanto isso, sobre transformar vários contratados do Reino Unido em funcionários, uma decisão da Suprema Corte contra o Uber forçou a empresa a reclassificar seus motoristas como “funcionários” com benefícios. As regras do Reino Unido se aplicam apenas ao Uber.

Relatórios da Reuters: O governo aprovou a lei portuguesa sobre os trabalhadores temporários na economia na semana passada e aguarda um anúncio do Parlamento.

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Previdência Social, Ana Mendes Godinho, disse que a lei vai dar mais segurança aos trabalhadores.

As regras também exigem que as empresas que fornecem esses serviços compartilhem informações com as autoridades sobre como seus algoritmos são usados ​​para gerenciar funcionários e empregos. O uso de algoritmos e inteligência artificial na economia do trabalho temporário Empresas atraíram a atenção de muitos reguladores Na Europa, está preocupada com o quão injusta ou discriminatória é a tecnologia.

Embora Portugal seja o último país a introduzir legislação nacional sobre o emprego de trabalhadores na economia do trabalho temporário, está também sobre a mesa a nível da UE. No início de 2021, a Comissão Europeia lançou um relatório consultivo sobre a situação jurídica e as condições de trabalho dos trabalhadores temporários na agência.

Enquanto isso, os tribunais continuaram avaliando as condições dos trabalhadores. Um tribunal holandês condenou recentemente o Uber em um caso envolvendo seus motoristas. O tribunal decidiu a favor do sindicato que até 4.000 motoristas no país devem ser considerados empregados.

READ  Neymar, a estrela do Paris Saint-Germain, deixou o campo depois de sofrer uma terrível lesão no tornozelo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *