Por que os empresários e empresas alemãs investem em Portugal?

Neste artigo, tentarei explicar em que motivação costumam ter os empresários estrangeiros que querem investir em Portugal, inclusive da Alemanha. Empresários de todo o mundo têm apostado em Portugal como local de produção das suas mercadorias nos últimos anos.

A primeira e principal razão é a estabilidade económica e geopolítica que Portugal oferece a quem aqui investe. Isso é seguido por segurança pública e menores taxas de criminalidade no país.

O segundo fator é o apoio institucional do Estado português, que oferece alguns benefícios fiscais para ajudar as empresas que aqui se instalam a criar empregos altamente qualificados. Segue-se o apoio jurídico e a formação de quadros, uma vez que o Estado português também assiste estas empresas através das suas agências especializadas, como a Agência Portuguesa para o Investimento e o Comércio Externo (AICEP).

Em terceiro lugar está o grande número de profissionais altamente qualificados formados em universidades portuguesas, que também se encontram entre as melhores da Europa e do mundo. Isso muitas vezes não é apreciado pelos empresários portugueses e pela comunidade empresarial da mesma forma que pelos empresários internacionais. É o caso de grandes empresas alemãs em Portugal como a SAP, Bosch, Daimler, BMW, VW, Audi e muitas outras como a Rocket Internet, dona do portal Zalando. Há muitos outros exemplos, como aponta a Câmara de Comércio Luso-Alemã, que fala em mais de 650 empresas alemãs que já investiram em Portugal.

Como quarta razão, a alta qualidade da engenharia e educação portuguesas é frequentemente apontada. Portugal assume a liderança na Europa, o Instituto Politécnico de Excelência de Lisboa está entre os 17 melhores da Europa e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto é a primeira em Portugal a ter todos os cursos acreditados pela European Accreditation Network for Engineering Education (ENAEE). A qualidade dos engenheiros portugueses já foi muitas vezes confirmada por empresas alemãs – e sobretudo pela Bosch.

Outro fator destacado pelos muitos empresários alemães que têm a sua produção em Portugal é o fator motivacional. Nas fábricas dessas empresas, os incentivos financeiros à produtividade criaram um ambiente de satisfação dos funcionários que coloca o desempenho dessas empresas à frente de outras do mesmo grupo ou ramo. Isso se deve em grande parte à gestão inteligente dessas empresas e à alta qualificação de seus funcionários.
O sexto fator é a capacidade humana de criatividade e desenvolvimento na procura de novos produtos para benefício das empresas em estreita colaboração com as universidades portuguesas, como o comprova o excelente exemplo da Bosch com a Universidade do Minho nas últimas décadas.

O último fator que vou mencionar hoje é a plena integração de Portugal na União Europeia. Os portugueses adaptam-se facilmente a novas formas de trabalhar e a sua cultura sempre esteve ligada à identidade europeia. Mas a capacidade linguística da maioria dos portugueses para falar uma ou duas línguas para além da sua língua materna é e continua a ser o fator mais importante na atratividade do mercado de trabalho português para a fixação de capitais estrangeiros em Portugal.

No entanto, há algo que também é muito discutido quando se trata de investir em Portugal, e que nós, em Portugal, devemos considerar seriamente. As leis laborais praticadas e regulamentadas por lei em Portugal continuam a ser um fator que reduz significativamente a vontade de empresas internacionais investirem em Portugal.

Esses investidores estão acostumados a concordar com contratos de trabalho flexíveis em benefício de seus funcionários para contratar os melhores talentos para os melhores empregos. Com as nossas leis laborais, muitas vezes sentem-se incompreendidos e severamente limitados na sua flexibilidade de gestão, e temos de trabalhar seriamente nisso em Portugal para que mais empresas como a Bosch, Siemens, Microsoft, Google e Cisco invistam em Portugal.

READ  O Presidente da Ucrânia discursa no Parlamento Português

Escrito por Paulo Lopez – Casaiberia Mediação Imobiliária, Lda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *