Nova cidade no Brasil para o Carnaval 2024

Este renascimento foi sem dúvida um momento político, diz Natalia Becatini, musicista de uma das congregações da cidade. Ela observou que “foi um processo político e uma rebelião de esquerda”.

Fernanda Branco Polci é membro do Caminhão Desiggo, um cluster em Belo Horizonte criado para membros das comunidades lésbicas, bissexuais e transgêneros. Segundo Bolsa, o carnaval começou em Belo Horizonte como parte de um movimento de protesto contra o ex-prefeito. Quando o prefeito da cidade proibiu o uso de uma das principais praças da cidade como espaço para festas, manifestantes de biquínis e portando megafones ocuparam o local. “Tem sido um carnaval de luta e resistência desde então”, disse Paul.

Ironicamente, a prefeitura já começou a participar do carnaval – algo com que nem todos os blocos se sentem confortáveis. “É como se eles estivessem tentando se apropriar de um evento popular e espontâneo para de alguma forma unificar nosso carnaval”, disse Pauls. Além de investir pela primeira vez em infraestrutura carnavalesca, o estado de Minas Gerais também gastou mais de R$ 6 milhões em Anúncio Em todo o Brasil com o slogan “Sinta-se em casa nas ruas de Belo Horizonte”. Num movimento que provavelmente visava irritar os moradores do Rio e garantir a ampla disseminação do anúncio, o cartaz foi colado no cartaz Outdoors No Metrô do Rio.

Mas a nova popularidade do Carnaval de Belo Horizonte entre os brasileiros hipster não é apenas resultado de uma publicidade inteligente. Gustavo Gregg é o apresentador da Festa VHS, festa popular da comunidade LGBTQ+ em São Paulo. Embora normalmente passe o carnaval em São Paulo, este ano vai para o Bega. Greg diz que Belo Horizonte está em um ótimo lugar: bem organizada, mas não excessivamente coordenada; É grande, mas ainda não está bem estabelecido.

READ  'Preocupado e frustrado' Lula vira à esquerda no Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *