Milho brasileiro tardio exige muita chuva em abril

A última semana de março de 2023, encerrada em 1º de abril, foi mais seca do que o normal em grande parte das regiões em desenvolvimento do Brasil. A estiagem, aliada ao calor, fará com que o solo seque rapidamente, principalmente no Mato Grosso do Sul, onde foi a quarta semana de março mais quente e a terceira mais seca em mais de 30 anos, segundo dados da Tendências meteorológicas360.

O tempo seco foi fundamental para encerrar qualquer plantio remanescente de uma segunda safra de milho (safrinha) no Brasil central, onde o plantio havia atrasado devido às fortes chuvas. Na Argentina, as tendências mais secas retornaram às regiões em desenvolvimento do país e foi a oitava semana mais seca de março em mais de 30 anos, de acordo com Tendências meteorológicas360.

Mapa meteorológico da América do Sul para a semana de 8 de abril

A primeira semana de abril, que termina em 8 de abril, trará clima mais úmido e frio em partes do Brasil central. No entanto, nem todo o Brasil terá clima mais úmido. O Paraná e o Rio Grande do Sul devem ficar mais secos do que o normal na primeira semana cheia de abril de 2023. As chuvas serão cruciais para o sucesso da safra de Saverinha, a grande maioria semeada fora da janela ideal de plantio. Quando o plantio ocorre fora da janela ideal, a cultura fica mais vulnerável às intempéries à medida que amadurece durante a estação seca no Brasil.

Além disso, o milho plantado mais tarde tem mais chances de sofrer geadas com a chegada dos meses mais frios. As chuvas de abril serão críticas para a safra de Savrinha, já que umidade suficiente do solo será necessária para sustentar a safra quando a estação seca chegar em maio. No entanto, se a estação seca começar mais cedo do que o planejado, isso pode ser desastroso para a cultura, especialmente com o plantio tardio.

READ  Lula compara a oposição venezuelana ao golpe de Bolsonaro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *