Mensalidades e preços dos alimentos atrapalham o avanço da inflação no Brasil

Assim como em outros países latino-americanos, a inflação subiu em fevereiro no Brasil.

Os preços subiram 0,83%, impulsionados pelas mensalidades e pelos custos dos alimentos Última leitura de inflação mostrar-se. O aumento mensal do índice IPCA, a medida oficial dos preços ao consumidor no Brasil, ficou bem acima da expectativa média do mercado de cerca de 0,78 por cento, segundo a Reuters.

Tal como já indicava o índice semestral, a maior pressão veio do grupo de preços relacionados com a educação, que subiu 4,98 por cento e foi responsável pelo impacto mais significativo no índice (0,29 pontos percentuais). Os preços dos alimentos e dos transportes também aumentaram o custo de vida, elevando o IFP em 0,2 e 0,15 pontos percentuais, respetivamente.

Os custos dos transportes aumentaram devido aos aumentos dos preços dos combustíveis depois de os governos estaduais terem decidido aumentar os impostos sobre o consumo em 12,5 por cento como forma de compensar as mudanças feitas pelo governo de Jair Bolsonaro e, ao mesmo tempo, aumentar os impostos que serão criados em breve. A taxa interna de IVA que surgirá com a reforma fiscal.

A taxa para os 12 meses até fevereiro desacelerou para 4,50 por cento, em comparação com 4,51 por cento em janeiro, mas também foi superior às expectativas dos economistas consultados pela Reuters, que esperavam cerca de 4,44 por cento.

Apesar da ligeira descida da inflação global, números recentes sugerem que a tendência da inflação de 2023 pode ter estagnado no início de 2024. Como resultado, as famílias com rendimentos mais baixos são mais propensas a sentir o impacto de…

Fabian Zeola Menezes

Fabian, ex-editor-chefe do LABS (Latin American Business Stories), tem mais de 15 anos de experiência em reportagens sobre negócios, finanças, inovação e cidades no Brasil. Este último recentemente a trouxe de volta à sala de aula e fez com que ela fizesse mestrado em Gestão Urbana pela PUCPR. Na TBR, você monitora a política econômica, as empresas revolucionárias e as pessoas que impulsionam a inovação na América Latina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *