Gulfood 2021 lança negócios para brasileiros

Thais Souza
[email protected]

São Paulo – A Gulfood 2021, principal feira do setor de alimentos do Oriente Médio, comemora o retorno das marcas brasileiras aos grandes eventos pessoais. A mostra começou no domingo (21) e segue até quinta-feira (25), com 42 empresas brasileiras participando de quatro pavilhões diferentes. A participação brasileira foi organizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil) O evento acontece em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Na foto acima, IBG Trade do Brasil em seu estande parceiro árabe.

Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) Ainda não fechou negócios nem o número de visitantes de sua área na mostra, mas seus executivos se surpreenderam com a afluência. “As expectativas são altas em relação à primeira grande ação internacional de nosso setor desde o início da pandemia. Todas as empresas participantes estão surpresas, principalmente com o alto nível de visitantes que recebem.” Luis Roi, Diretor de Mercados da ABPA, disse: “Expectativas foram superados na prospecção e consolidação de negócios. Isso é especialmente importante em um momento em que os negócios com clientes árabes estão em alta. ”

A ABPA lidera as empresas brasileiras de proteína animal na feira em parceria com a Apex-Brasil. Estão previstos ainda encontros de negócios envolvendo as marcas dos projetos de promoção da avicultura brasileira, ovos brasileiros e criadores brasileiros.

O presidente da Apex-Brasil, Sergio Segovia, disse que a volta a uma feira no Oriente Médio – a terceira maior importadora da agricultura brasileira – é fundamental para o país. Só em 2020, as exportações do Brasil aumentaram quase US $ 9 bilhões. Além disso, as vendas devem retomar o crescimento nos principais países representados na mostra. Temos uma forte presença em carnes e proteínas animais, além de açúcar, soja e milho. Além disso, temos um bom market share na pecuária, café, algodão e alguns outros itens ”, disse Segovia, referindo-se aos mercados que começaram a receber produtos do Brasil recentemente. Ele indicou que setores que podem aumentar as vendas para os países árabes são os de sucos e laticínios, mel, alimentos orgânicos e funcionais, materiais processados ​​e embalados.

Funcionários da ABCC estiveram presentes no dia de abertura da Gulfood

O Câmara de Comércio Árabe Brasileira (ABCC) Os funcionários do escritório de Dubai também estão na Gulfood, trabalhando para promover negócios. No primeiro dia do show, empresa membro da ABCC IPG Trade Ela chegou a um acordo que a levaria a exportar um produto de transporte de contêineres para os Emirados Árabes Unidos. “No primeiro dia de feira, fizemos a primeira venda de um produto Amar, Uma marca brasileira de geleia nutricional. Vendemos nosso primeiro pacote de Barras Alimentadoras e estamos muito felizes com os resultados que estamos obtendo nesta galeria. Christian Coelho, diretor comercial do IBG Trade, disse à ANBA que esperamos muito que mais negócios sejam fechados.

A marca, com sede em Dubai, possui escritórios em São Paulo e Tobati, Brasil. “Trabalhamos para invadir [UAE] Mercado há um ano. Agora, temos cinco marcas de produtos exclusivas. “Os produtos de nutrição são muito bem recebidos”, disse Coelho, que trabalha na sede árabe da empresa. Ela está no evento na suíte de parceiros.

Raphael Solimo, chefe do escritório da ABCC em Dubai, tem boas expectativas em relação a um retorno gradual às atividades pessoais nos eventos. Visitamos os membros árabes e brasileiros que participaram do show. Ao longo da semana, realizaremos reuniões em nossos escritórios. Estamos muito animados. Apesar das restrições impostas em todo o mundo, podemos nos adaptar e apoiar nossos associados ”, disse à ANBA.

Oportunidades

No esforço de visualizar as oportunidades que a feira apresenta, a Apex-Brasil tem realizado estudos que mostram que, considerando todos os subsetores, a Gulfood pode gerar US $ 10,8 bilhões em importações para os países da região e US $ 4,2 bilhões em exportações do Brasil. Os subsetores abrangidos pelo estudo representam 38,9% da participação do Brasil. Para aproveitar essa localização privilegiada e criar mais oportunidades para as empresas brasileiras, a Apex-Brasil mantém escritório em Dubai desde 2009.

A apresentação também contou com a presença do embaixador do Brasil em Abu Dhabi, Fernando Igreja, e do ministro da Inovação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Fernando Camargo. “A feira Gulfood é uma grande oportunidade de abrir novos horizontes para o agronegócio brasileiro”, afirmou Camargo em nota à imprensa.

Traduzido por Gabriel Pomeran Blume

ABCC

ABCC

READ  Enviado: Bangladesh e Brasil vão construir laços econômicos mais fortes no período pós-Covid

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *