Grupos de baixa renda menos afetados pela inflação no Brasil – MercoPress

Grupos de baixa renda menos afetados pela inflação no Brasil

Domingo, 16 de abril de 2023 – 13:01 UTC


Famílias de maior renda foram menos afetadas na categoria transportes devido à queda de 5,3% nas passagens aéreas

Um relatório do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgado na sexta-feira disse que a inflação no Brasil desacelerou para todos os grupos de renda em março.

De acordo com o estudo, que separou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) por classe social, as famílias de menor renda foram as mais beneficiadas.

O Índice de Inflação do Ipea por Faixa de Renda mostrou que a inflação para as famílias de renda muito baixa foi de 0,53% em março. A maior taxa foi para famílias de renda média alta: 0,81%.
A avaliação completa do Ipea para o mês de março foi a seguinte: rendimento muito baixo de 0,53%; baixa renda 0,65%; renda média baixa 0,76%; rendimento médio de 0,80%; faixa de renda média alta 0,81%; Alta renda 0,69. IPCA total: 0,71%.

Em relação a março de 2022, houve forte desaceleração para todas as classes sociais, mas a queda foi mais acentuada para as famílias com menor poder aquisitivo, principalmente devido aos preços mais baixos dos alimentos. Com exceção de peixes, aves e ovos, os demais alimentos registraram variações de preços menores em março de 2023 do que em março de 2022.

No acumulado de doze meses encerrado em março, as famílias de alta renda apresentaram a maior taxa de inflação (6,44%). A menor taxa de inflação foi registrada na faixa de renda média baixa (4,38%). Entre as famílias de renda muito baixa, o indicador chegou a 4,60%.

READ  Tamanho, participação e análise do mercado de pet care no Brasil, por categoria, por tipo de alimento para animais de estimação: previsões e oportunidades, 2021-2025

Com os preços da gasolina subindo 8,3% e os preços do etanol subindo 3,2%, o grupo transportes pressionou a inflação para todas as classes de renda. Já as famílias de maior renda foram menos afetadas pela queda de 5,3% nas passagens aéreas e de 1,6% no valor do seguro de carro.

O aumento de 2,3% no preço da energia elétrica afetou principalmente as famílias de baixa renda. No grupo saúde e cuidados pessoais, as famílias de baixa renda tiveram alta de 0,72% nos produtos de higiene pessoal, enquanto as de maior renda foram afetadas pelo aumento de 1,2% nos planos de saúde.

O setor de alta renda também foi afetado pelo grupo de despesas pessoais. Principalmente por meio das revisões de 0,32% nos serviços pessoais e de 0,55% nos serviços de lazer em março.
Com o IPCA apontando a inflação de março para 0,71%, ante 0,84% em fevereiro, a taxa anual se manteve estável em 4,65%, valor abaixo de 5% pela primeira vez em dois anos. (Fonte: Agência Brasil)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *