Fóssil de anfíbio gigante do período Triássico descoberto no Brasil

Novo gênero e espécie Anfíbios Temnospondel Foi descrito por uma equipe de paleontólogos da Universidade Federal dos Pampas, da Universidade Federal do Vale do São Francisco, da Universidade de Princeton e da Universidade de Harvard.

Impressão artística de Coatisuchus rosae. Crédito da foto: Márcio Castro.

Espécies de temnospondel recentemente identificadas vagaram pelo nosso planeta durante o Triássico Inferior, cerca de 249 milhões de anos atrás.

O nome da coisa Coatisuchus rosaeO antigo animal tinha cerca de 1,5 metros (4,9 pés) de comprimento.

Ele pertencia a Pentosuchidaeum pequeno grupo de anfíbios gigantes semelhantes a crocodilos que viveram durante o Período Triássico.

Essas criaturas eram principalmente aquáticas, vivendo em rios e lagos. Eles atingem um comprimento de 2,5 metros (8,2 pés) e não têm parentes vivos diretos.

Coatisuchus rosae “Pode ser atribuído com segurança a Benthosuchidae, um clado antropomórfico cuja distribuição anteriormente estava restrita à plataforma do Leste Europeu”, disseram o paleontólogo Felipe Pinheiro e colegas da Universidade Federal do Pampa.

“A análise filogenética confirma a relação do novo gênero com a linhagem dos trematossauros, estando intimamente relacionado ao gênero Pentosuco“.

Crânio de Coatisuchus rosae.  Crédito da foto: Felipe Pinheiro.

Crânio Coatisuchus rosae. Crédito da foto: Felipe Pinheiro.

O crânio fossilizado de Coatisuchus rosae Foi encontrado em agosto de 2022 em Formação da Sangha do CabralFormação rochosa sedimentar encontrada no Rio Grande do Sul, Brasil.

Coatisuchus rosae “Ele foi um sobrevivente”, disse o Dr. Pinheiro, principal autor do livro. papel Publicado em Registro anatômico.

“Ele viveu em um ambiente devastado pela maior extinção em massa da história do planeta.”

“Por serem animais adaptados a condições de alto estresse ambiental, os anfíbios Temnospondyl tornaram-se abundantes em todo o mundo.”

READ  Estude a idade mínima para patinetes e bicicletas elétricas

“Isso nos ajuda a entender como as extinções afetaram o planeta e como podemos compreender seus efeitos hoje.”

“Este foi o grupo mais diversificado de tetrápodes primitivos já registrado em todos os continentes da Terra”, disse o Dr. Estevan Eltinck, paleontólogo da Universidade Federal do Vale do São Francisco.

“Os Temnospondyles sobreviveram à maior extinção em massa de todos os tempos.”

“Eles têm um amplo registro ao longo dos períodos geológicos e tiveram múltiplos pulsos de radiação ao longo dos milhões de anos de sua existência.”

_____

Felipe L. Pinheiro e outros. Inter-relações entre a fauna do Triássico Inferior do Gondwana ocidental e da Laurásia conforme iluminadas pelo novo Temnospondyl Bentosuchid da América do Sul. Registro anatômico, publicado on-line em 19 de janeiro de 2024; doi: 10.1002/ar.25384

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *