Fortalecimento das relações de Bangladesh com Brasil, Argentina e Catar



Outra vista

Escrito por: Mashrur Siddique Bhuiyan

A febre da Copa do Mundo da FIFA incendeia nosso planeta. Além da guerra russo-ucraniana, crise econômica global, inflação, etc., todos no mundo são obcecados por futebol. A mania da Copa do Mundo se espalhou pelo Mar Arábico até os bairros de Aligli, em Bangladesh. Argentina e Brasil estão em todos os lugares, desde a casa de chá em nosso Naim Alley até a tela gigante do TSC. No meio da noite, eles saíam em grupos depois de acordar loucamente. Bengalis com fortes sentimentos estiveram presentes nesta celebração e luto em todo o mundo.

De vez em quando, esse entusiasmo extremo se transforma em tristeza. Ao hastear a bandeira argentina, Dibin Tripura de Khagrachari e Tanveer Hasan de Savipur morreram eletrocutados. Chuck Culpepper, um conhecido jornalista esportivo, escreveu um artigo intitulado “Em Bangladesh, a rivalidade entre futebol argentino e brasileiro é uma ‘loucura’ bizarra” no Washington Post sobre a tendência bengali de fazer apostas que ameaçam a vida. Nawab Mia, tio de Razaul , um torcedor do Brasil, ficou ferido Com o nariz quebrado, Jeevan Mia e sua equipe na Brahmanbaria Uma reportagem criticando essa situação insensível foi publicada no jornal argentino “Buenos Aires Times”.

Embora a Copa do Mundo seja divertida para os fãs de futebol, ela também oferece aos organizadores uma grande oportunidade comercial e uma forma de influenciar a geopolítica. Enquanto Messi representa arte para nós, na economia espanhola ele representa parte do PIB. Messi tem um impacto de aproximadamente 1,4% no PIB da Espanha, segundo dados divulgados pelo presidente da La Liga, Javier Tebas. Mais 180.000 empregos foram criados na Espanha como resultado da chegada de Messi. Vários relatórios da Reuters indicam que o Catar gastou aproximadamente US$ 4,229 bilhões em estádios, infraestrutura, segurança e outras despesas relacionadas à Copa do Mundo. Enquanto Rússia e Brasil investiram US$ 16 bilhões e US$ 19,7 bilhões, respectivamente, nas Copas de 2018 e 2014, respectivamente.

O Catar está fazendo compras extravagantes em um momento em que a inflação global está fora de controle e a Grande Recessão se aproxima. Naturalmente, os efeitos da crise do dólar e da inflação também se fizeram sentir na vida pública de Bangladesh. As indústrias de importação e exportação estão sobrecarregadas. Um governo com visão de futuro está desenvolvendo várias estratégias para reduzir custos. E naquele exato momento, nossos apaixonados torcedores de futebol estão gritando a plenos pulmões por nações distantes como Brasil e Argentina, quebrando a cabeça de outros no processo. Vendo isso, nossa curiosidade sobre a Argentina e o Brasil cresce. A profundidade e amplitude das relações econômicas e comerciais de Bangladesh com os dois países serão benéficas para mim. No entanto, destacar uma pequena escala e entender toda a gama de interações econômicas e comerciais não é apenas desafiador, mas quase impossível. Como observadores, gostaríamos de observar a química econômica entre Brasil, Argentina e Catar. O Catar é o mais avançado dos quatro países mencionados, em grande parte devido ao seu alto PIB per capita. A pequena população afeta o maior PIB per capita do país em comparação com os outros três.

READ  10 motivos para não perder a estreia da décima temporada de 'The Voice Brasil'

Bangladesh ainda não pode ser comparado aos outros três países, mas Bangladesh está melhorando em termos de receitas de exportação sob o governo do primeiro-ministro Sheikh Hasina, e novas oportunidades estão surgindo. Primeiro, ultrapassou US$ 50 bilhões. As principais exportações de Bangladesh são roupas excedentes para a Europa e América. O mercado de exportação de Bangladesh é muito modesto em comparação com o da Argentina. No último ano fiscal, a Argentina exportou exclusivamente malhas, tecidos, brinquedos, etc. por US$ 9,518 milhões. O Brasil é o maior mercado de exportação de Bangladesh, superando a Argentina por um fator de 11,47. O Brasil exportou mercadorias no valor de $ 109,202 milhões no ano fiscal anterior, incluindo roupas, tabaco, produtos de plástico e borracha, artesanato, camisas esportivas, remédios, equipamentos médicos, componentes de aço para automóveis, etc. Muitos produtos de vestuário, bem como batatas, arroz, tomates e outras variedades foram exportados de Bangladesh para o Catar no ano passado por um valor total de US$ 42,298 milhões.

O custo das importações está aumentando, mesmo que as receitas de exportação estejam aumentando. As despesas totais de importação durante o ano fiscal 2021-2022 totalizaram 75 bilhões e 604,4 milhões de dólares, e as receitas de exportação totalizaram 52 bilhões e 82,658 milhões de dólares. De cima para cima, EUA. alguns outros países. Poucos outros países onde é tão ruim. O físico comprou óleo vegetal doméstico e grãos alimentícios para a Argentina por US$ 791,5 milhões no ano fiscal de 2021-2022, em comparação com US$ 9,518 milhões em exportações de commodities. Estima-se que $ 782 milhões foram perdidos com o comércio. O Brasil ocupa o oitavo lugar entre os importadores, e o Catar, o nono. O desequilíbrio comercial com o Brasil é de cerca de US$ 2.136.000.000. No ano passado, foram importados do Brasil US$ 2,455 milhões em produtos alimentícios como oleaginosas, cereais, açúcar, algodão, café, tabaco, etc. Bangladesh importa 2,9% de suas mercadorias totais do Catar e, com isso, temos um déficit comercial de US$ 2,135 milhões.

Na era do livre comércio, quase todos os países do mundo participam direta ou indiretamente do comércio de um país. Por outro lado, a força das relações políticas e financeiras entre os dois países determina a extensão das relações econômicas entre eles. Devemos buscar no Departamento de Relações Econômicas do Ministério da Fazenda a resposta à pergunta sobre a amplitude de nossas interações comerciais com os três países em discussão. Desde a independência até 30 de junho de 2021, Bangladesh recebeu um total de US$ 101,3 trilhões (673 bilhões de dólares) em ajuda financeira, de acordo com a publicação “External Resources Flow to Bangladesh 2020-2021 Golden Jubilee Special Edition” emitida pelo Departamento de Assuntos Econômicos. Relações. Que incluiu 72,8 trilhões 484 bilhões em empréstimos e 28,519 trilhões em doações. Apesar de arvorar em nossos céus as bandeiras da Argentina e do Brasil, não temos nenhuma cooperação econômica ou desenvolvimento bilateral com nenhum dos dois países. Em termos de programas bilaterais de concessão de empréstimos ou ajuda alimentar, Bangladesh não estabeleceu nenhuma relação econômica formal com os três países. Os três países são apontados como potenciais parceiros para o desenvolvimento futuro em diversas publicações do Departamento de Relações Econômicas.

Apesar de não estar relacionado com a cooperação para o desenvolvimento, o Qatar é um dos três países mencionados que mais contribuem para a economia do Bangladesh através de remessas. A moeda estrangeira obtida por meio de remessas é usada para cobrir o déficit comercial causado por menores receitas de exportação em comparação com maiores gastos com importações. As remessas ajudam o avanço da economia. No ano financeiro de 2021-2022, o Banco de Bangladesh informou que um total de $ 1 bilhão (346,47 milhões) – ou 6,40% de todas as remessas – veio do Catar dos $ 21 bilhões recebidos e $ 31,68 milhões. Bangladesh foi o sexto destinatário de remessas para o Qatar, enquanto Bangladesh foi o sétimo destinatário de remessas, de acordo com o relatório “Migration and Development Brief 37” do Banco Mundial em 2021. Pequenas remessas também foram enviadas para Bangladesh nesta época do Brasil e da Argentina.

READ  Alpari Brasil Cinema 2023 será exibido de 25 a 29 de novembro

São todas nações nossas amigas no cenário mundial, não importa o que aconteça em campo. Pela política externa prezada pelo Pai da Nação Sheikh Mujibur Rahman de Bangabandhu “Amigabilidade com todos, ódio sem ódio”, Argentina, Brasil e Catar são todos nossos países amigos. Intelectuais argentinos publicaram uma declaração de apoio a Bangladesh em nossa grande luta de libertação em 1971 e organizaram vários protestos anti-genocídio por iniciativa da escritora e editora argentina Fiduchi Victoria Ocampo. Existem muitos exemplos de Brasil e Bangladesh apoiando-se mutuamente por meio do voto direto em organismos internacionais como as Nações Unidas. Apesar do pequeno tamanho da economia do Catar, devemos importar necessidades como petróleo e fertilizantes do Catar. Nestes tempos difíceis, as remessas do Qatar são uma parte importante para manter a economia próspera.

Em tempos econômicos difíceis, todos temem a Grande Depressão. Em meio à crise econômica global causada pela pandemia de Ebola, o conflito entre a Rússia e a Ucrânia tornou-se um novo problema. Graças à orientação sábia e às ações corajosas da primeira-ministra Sheikh Hasina, Bangladesh está trabalhando heroicamente para superar a situação atual. Não adianta quebrar o nariz de alguém e cortar sua orelha em um momento tão hostil quando dois países separados por centenas de quilômetros estão brigando por uma partida. Os eventos esportivos devem ser puro entretenimento. O único propósito de assistir ao jogo é apreciar a estética do futebol e evitar polêmicas pessoais desnecessárias.

[email protected]


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *