Fontes disseram que al-Bashir foi transferido para um hospital militar antes dos combates

DUBAI (Reuters) – O líder sudanês deposto Omar al-Bashir foi transferido da prisão de Kober para um hospital militar na capital sudanesa antes do início de intensos combates em 15 de abril, disseram duas fontes hospitalares.

O paradeiro de Al-Bashir foi questionado depois que um ex-ministro de seu gabinete, Ali Haroun, anunciou na terça-feira que havia deixado a prisão com outros ex-funcionários.

Tanto al-Bashir quanto Haroun são procurados pelo Tribunal Penal Internacional por supostas atrocidades em Darfur.

Os combates eclodiram novamente no Sudão na noite de terça-feira, apesar das facções em guerra terem declarado um cessar-fogo, enquanto mais pessoas fugiam de Cartum em meio ao caos.

As Forças Armadas Sudanesas e as Forças de Apoio Rápido paramilitares concordaram com um cessar-fogo de 72 horas a partir de terça-feira, após negociações mediadas pelos Estados Unidos e Arábia Saudita.

Um repórter da Reuters disse que tiros e explosões foram ouvidos após o anoitecer em Omdurman, uma das cidades irmãs de Cartum no Nilo, onde o exército usou drones para atingir posições RSF.

O enviado especial da ONU para o Sudão, Volker Berthes, disse ao Conselho de Segurança da ONU na terça-feira que o cessar-fogo “parece estar valendo em algumas partes até agora”.

No entanto, ele disse que nenhum dos lados mostrou vontade “de negociar seriamente, indicando que ambos os lados acreditam que alcançar uma vitória militar sobre o outro é possível”.

“Este é um erro de cálculo”, disse Perthes, acrescentando que o aeroporto de Cartum estava operacional, mas a pista foi danificada.

Os primeiros civis turcos evacuados do Sudão voltaram para a Turquia na quarta-feira, e a Arábia Saudita disse ter evacuado 13 de seus cidadãos e 1.674 outras pessoas, sem qualquer sinal de vontade das partes em conflito de negociar seriamente.

READ  Treinamento do F-16: Os Estados Unidos começarão a treinar pilotos ucranianos para pilotar o F-16 em outubro

Os turcos vieram da capital etíope, Adis Abeba, depois de chegarem por terra vindos de Cartum.

Vários outros voos são esperados ainda na quarta-feira para evacuar os cidadãos turcos restantes que cruzaram para a Etiópia a partir do Sudão.

(Reportagem de Mehmet Emin Kaleskan, Omer Berbroglu e Deniz Uyar em Istambul, Michelle Nichols em Nova York e Tala Ramadan em Dubai). Escrito por Michael George. Edição de Simon Cameron Moore

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *