Equinor lança usina solar de 531 MW no Brasil

A Equinor ASA lançou a usina solar Mendubim de 531 MW no Brasil, representando um aumento de 30% na produção de energia do país.

A planta Mindopim produzirá 1,2 terawatt-hora de energia anualmente, disse a Equinor em um comunicado de imprensa recente. Cerca de 60% da energia será vendida sob um contrato de compra de energia denominado em dólares americanos por 20 anos com a Alunorte, fornecedora líder mundial de alumina para a indústria do alumínio. A empresa indicou que o restante da produção será vendida no mercado de energia no Brasil.

O projeto foi desenvolvido e será operado como uma joint venture entre Scatec, Hydro Rein e Equinor. Os três parceiros têm uma participação económica igual de 30 por cento no projecto. A Alunorte exerceu sua opção de compra e agora detém os 10 por cento restantes, segundo o comunicado.

“Mendubim representa uma contribuição importante para a oferta diversificada de energia da Equinor no Brasil, que inclui um forte portfólio de petróleo e gás e uma localização atraente para energia renovável”, disse Veronica Coelho, country manager da Equinor no Brasil.

“O lançamento de uma nova e importante usina de energia solar no Brasil em parceria com a Scatec e a Hydro Rain é um marco significativo”, disse Olaf Kolbenstvedt, vice-presidente sênior de Energia Onshore e Mercados de Energia Renovável da Equinor. A Equinor opera seus negócios no Brasil há mais de duas décadas e vemos o país como uma região chave para um crescimento lucrativo no longo prazo. Ao investir em energia renovável, apoiamos as ambições do Brasil em direção a uma matriz energética diversificada e ajudamos a atender ao crescimento esperado na demanda energética no país.

Segundo o comunicado, o Brasil é o maior mercado de energia da América do Sul, com expectativa de crescimento significativo da demanda. O processo de liberalização do mercado energético continua, uma vez que o mercado liberalizado representa agora cerca de 40 por cento do consumo total.

Mendubim eleva a produção de energia da Equinor no país para mais de 1,4 TWh em 2024. Com a usina, a empresa também entra pela primeira vez no mercado desregulamentado de energia do Brasil. Espera-se que o ativo forneça retornos reais do núcleo do projeto no meio da faixa orientada para energias renováveis ​​da Equinor, de quatro a oito por cento.

Terje Bielskog, CEO da Scatec, disse: “Este projeto representa um marco fundamental na consecução dos nossos objetivos estratégicos e fortalece a nossa posição num mercado proeminente para o crescimento das energias renováveis, apoiado pelos nossos parceiros Equinor e Hydro Rein. O próspero mercado solar do Brasil está alinhado ao nosso compromisso com o progresso sustentável, e estamos entusiasmados em desenvolver este projeto impactante para quase 3 milhões de pessoas. [metric tons] Evite equivalentes de dióxido de carbono.”

Olivier Girardot, CEO da Hydro Rein, disse: “Temos o prazer de concluir os primeiros projetos de energia renovável da Hydro Rein no Brasil. Nossa missão é desenvolver soluções de energia renovável para indústrias mais sustentáveis, e a Mendubim está fazendo exatamente isso. A maior parte da energia a produção será destinada à refinaria de alumina da Hydro Alunorte na “Barra, apoiando um dos maiores projetos de descarbonização do mundo. Temos muito orgulho de participar desse desenvolvimento com a Equinor e a Scatec”.

A Equinor indicou que a geração total de energia renovável em 2023 foi de cerca de 2 terawatts-hora e pretende dobrar esse número este ano.

“Estamos trabalhando para construir um portfólio de energia tangível e rentável no Brasil”, acrescentou Kolbenstvedt. “Nossa trading de energia Danske Commodities administrará cada vez mais esse portfólio no mercado brasileiro, aproveitando suas capacidades de negociação e gerenciamento de risco de portfólio para maximizar a criação de valor.”

A pegada de energias renováveis ​​da Equinor no Brasil inclui três ativos em produção comercial: a usina solar Apodi de 162 MW, o parque eólico terrestre Serra da Babilônia 1 de 223 MW e a usina Mendubim. Além disso, há mais de 1,5 GW de projetos solares e eólicos onshore em andamento, liderados por sua subsidiária integral Rio Energy.

Para entrar em contato com o autor, envie um e-mail para [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *