Crítica e sinopse do filme Música (2024)

“Música” cumpre o que promete: uma história de amor, números musicais e uma celebração da cultura brasileira, a começar pelo colorido pôster do filme que reflete a bandeira verde, amarela e branca do país. Através de Rudy, personagem inspirado no escritor e diretor do filme Rudy Mancuso, temos uma noção de sua experiência com a sinestesia, condição em que um estímulo sensorial leva a um segundo estímulo sensorial, ou seja, uma pessoa pode saborear cores ou ouvir algo que desencadeia um sentido visual. Responder. Rudy vivencia este último, onde os sons cotidianos do trânsito, dos aviões, das crianças brincando no parque, das pessoas conversando e vivendo suas vidas são altos o suficiente para perturbar seus pensamentos e, no filme, sua experiência é demonstrada por meio de números musicais cotidianos. Os objetos são adereços no estilo do show off-Broadway “Stomp”. É um pouco “todo aquele jazz” a maneira como Mancuso usa a música e a dança para ilustrar sua luta para se conectar com os outros e corresponder às suas expectativas. Mancuso, que compôs a música de “Música”, utiliza marionetes, animação e design de produção inovador para aprimorar sua visão criativa. Algumas músicas e sequências nem sempre atingem as notas certas, e as músicas cantadas pelo artista de rua na estação de trem estão entre os pontos mais fracos do filme. Mas então, há momentos impressionantes – como uma longa cena de Rudy correndo pela cidade mantendo as três mulheres de sua vida felizes usando diferentes cenários e dispositivos – que são realmente impressionantes e elevam esta comédia romântica a um nível mais alto do que a simples. “menino.” Configurações de “Conheça a garota” que tratam o estilo visual como uma reflexão tardia.

Apesar de alguns erros e incompletudes, há muito o que aproveitar na estreia de Mancuso. Além da trama romântica do filme, Mancuso, que co-escreveu o filme com Dan Lagana, explora sua ligação com a cultura brasileira. Ele oscila facilmente entre falar inglês e português em diversas ocasiões; Mesmo em um encontro, ele abre espaço para a feijoada preparada na casa da mãe; Os ritmos da bossa nova e os movimentos de samba estão perfeitamente entrelaçados na trama musical do filme e, em uma sequência hilariante em um restaurante, ele come várias rodadas de cachaça, talvez a maior quantidade de qualquer filme americano. Mancuso também aborda alguns dos aspectos mais espinhosos de ficar perto de casa, como a forma como sua mãe Maria (interpretada pela mãe de Mancuso na vida real) insiste para que ele se case com outra brasileira. Ele também enfrenta a ignorância dos pais de Haley sobre seu país quando eles presumem que ele fala espanhol como sua governanta na América Central, e Rudy tem que descobrir se deve corrigi-los ou deixar isso passar para manter a paz. Mais do que alguns filhos de imigrantes de segunda e terceira geração provavelmente encontrarão algo com que se identificar no filme de Mancuso, mas, ao mesmo tempo, o filme parece tão único por causa da raridade em que vemos a experiência brasileiro-americana na tela.

Esse espírito festivo se estende ao relacionamento de Mancuso com sua mãe, sua co-estrela que rouba cenas. A dinâmica deles no filme é mais animada do que os encontros de Rudy com Isabella, que parece uma versão carrancuda e idealizada do que poderia ter sido, e Hailey, uma amiga cujos objetivos e planos para o futuro não se alinham mais com o que nosso personagem principal deseja. Ele questiona deixar a mãe depois da faculdade e é claramente muito próximo dela, apesar da desaprovação dela em relação aos seus esforços artísticos e às suas escolhas de namoro, o que pode parecer uma reação familiar de alguns de nossos pais. Nos créditos, fotos da infância de Mancuso se desdobram ao lado dos nomes e títulos do elenco e da equipe técnica, fazendo com que “Música” pareça tanto uma carta de amor para ela quanto para a música que o inspirou e a cultura que o moldou. Até ao final, “Música” torna-se mais do que uma simples comédia romântica fofa. Trata-se de encontrar o amor quando vivemos com uma deficiência, trata-se de encontrar música onde quer que esteja e trata-se da nossa ligação à nossa cultura e família.

READ  Bennett College promove debate e exibição de filme sobre justiça reprodutiva no Brasil - Bennett College

Agora no Prime Video.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *