Brasil investe na atração de mais turistas muçulmanos

São Paulo: Como maior exportador mundial de proteína halal, o Brasil agora pretende atrair turistas muçulmanos, um grupo que gera US$ 238 bilhões em receitas a cada ano.

Atualmente, o número de visitantes de países de maioria muçulmana ao país sul-americano é bastante baixo. Por exemplo, a cidade de São Paulo, principal centro econômico do Brasil, recebeu apenas 21,5 mil turistas de países árabes no ano passado.

Pessoas como Ali Al Zoghbi querem mudar esta realidade. O secretário-geral da Academia Halal Internacional, que oferece treinamento em produtos e serviços halal, disse ao Arab News que o estado de São Paulo e o Distrito Federal, onde fica a capital brasileira, Brasília, estão fazendo esforços para se tornarem destinos turísticos amigos dos muçulmanos. .

Al-Zoghbi disse: “Acreditamos que São Paulo tem muitas vantagens quando se trata de receber turistas muçulmanos, por isso começamos a trabalhar com o ministro do Turismo do estado para desenvolver um programa para qualificar hotéis, restaurantes e empresas de transporte para receber muçulmanos”. É também Vice-Presidente da Empresa de Certificação Halal Fambras.

São Paulo tem uma população altamente diversificada, incluindo uma comunidade muçulmana centenária e muitas mesquitas. É a principal porta de entrada do Brasil e o destino mais importante dos empresários do mundo islâmico.

“Desenvolvemos um guia turístico amigável aos muçulmanos, que inclui informações sobre mesquitas locais, consulados de países de maioria muçulmana e atrações turísticas”, disse Anna Clemente, coordenadora de turismo do estado, ao Arab News.

Clemente ressaltou que o objetivo do estado é melhorar a qualidade da experiência dos turistas muçulmanos em São Paulo, fornecendo informações úteis e treinando funcionários de hotéis e restaurantes para recebê-los adequadamente.

“A ideia é também reduzir o potencial preconceito contra os muçulmanos”, disse ela.

Acreditamos que São Paulo tem muitas vantagens quando se trata de receber turistas muçulmanos, por isso começamos a trabalhar com o Ministro do Turismo do estado para desenvolver um programa para qualificar hotéis, restaurantes e empresas de transporte para receber muçulmanos.

Ali Al Zoghbi, vice-presidente da Fambras Halal

Hoje, turistas americanos, europeus, chilenos e argentinos constituem a maioria dos visitantes que chegam a São Paulo todos os anos.

“Mas há muitos atrativos para os turistas muçulmanos na região metropolitana de São Paulo e também no interior”, acrescentou.

Desde o início do programa, um dos principais hotéis de São Paulo recebeu a certificação Muslim-friendly e outros dois estão trabalhando nisso.

Al-Zoghbi explicou: “As modificações necessárias não são muito difíceis, mas alguns detalhes são importantes, como incluir adesivos mostrando a Qibla nos quartos, retirar bebidas alcoólicas dos quartos para convidados muçulmanos e separar a carne de porco de outros itens no cardápio.” .

Acrescentou que fornecer mangueiras de chuveiro nas casas de banho para ablução, fornecer tapetes de oração e fornecer cópias do Alcorão Sagrado também são medidas relevantes.

“O grande desafio é fazer com que o hóspede se sinta em casa. Temos que conhecer as diferenças e entender quem são essas pessoas e quais são as suas necessidades”, disse Zoghbi.

Depois que São Paulo iniciou o programa em 2023, o governo do Distrito Federal também anunciou sua intenção de investir no turismo favorável aos muçulmanos. Um acordo foi assinado com a Hala International Academy em dezembro.

“Assim como São Paulo, Brasília é uma cidade que acolhe pessoas de diferentes origens culturais. Começamos agora a oferecer workshops para hotéis, agências de viagens e empresas de transporte”, disse Al-Zoghbi. Na próxima etapa, as empresas interessadas em obter informações amigáveis ​​aos muçulmanos a certificação será treinada e avaliada pela FAMBRAS.

Al-Zoghbi acredita que os esforços para atrair o turismo islâmico são semelhantes à primeira exportação de carne bovina halal brasileira para o mundo árabe em 1976.

“A primeira venda não teve importância, apenas uma pequena quantidade de carne bovina. Hoje o Brasil é o maior produtor de proteína halal do mundo.

Ele quer redirecionar parte do fluxo de muçulmanos que visitam as principais capitais europeias e os Estados Unidos para o Brasil, país famoso por suas inúmeras maravilhas naturais.

“Mas esses destinos estão prontos para receber muçulmanos há mais tempo do que nós”, disse ele.

A empresária brasileira nascida no Líbano, Karen Hayek, concorda. Ela disse ao Arab News que até recentemente o país sul-americano não estava preparado para lidar com muçulmanos totalmente religiosos. Por isso decidi lançar uma agência de viagens focada em turistas dos países do Golfo.

“Nossa ideia era preparar o Brasil para receber os árabes. Hoje temos uma lista de restaurantes e hotéis que podem receber esses hóspedes”, confirmou.

A Halatina, empresa de Hayek, trabalha para superar as barreiras culturais e linguísticas que os turistas árabes enfrentam no Brasil. A ideia surgiu depois que Hayek percebeu que muitos empresários árabes vêm sozinhos ao Brasil para participar de reuniões e depois enfrentam a longa viagem de volta ao Golfo sem conhecer bem o país.

fatos rápidos

• São Paulo tem uma população altamente diversificada, incluindo uma comunidade muçulmana centenária e muitas mesquitas. É a principal porta de entrada do Brasil e o destino mais importante dos empresários do mundo islâmico.

• Tanto o estado de São Paulo como o Distrito Federal, onde está localizada a capital brasileira, Brasília, estão envidando esforços para se tornarem destinos turísticos amigos dos muçulmanos.

• Al-Zoghbi acredita que os esforços feitos para atrair o turismo islâmico são semelhantes aos da primeira exportação de carne bovina halal brasileira para o mundo árabe em 1976.

Eles tinham medo do Brasil e achavam que aqui não havia nada para eles. “Então, a nossa proposta para eles é: venham para o Brasil com sua família e nós cuidaremos de todos vocês”, ressaltou.

Enquanto São Paulo é o principal destino de negócios, o Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu – onde estão localizadas as gigantescas Cataratas do Iguaçu – e a Amazônia são os principais pontos turísticos. Árabes e muçulmanos podem desfrutar plenamente de tudo isso, disse Hayek.

A cidade de Foz do Iguaçu é uma grande exceção. Com uma enorme comunidade muçulmana, foi definido como um destino halal no ano passado. Mas o resto do país ainda enfrenta alguns desafios.

“Claro que ainda temos alguns restaurantes onde as famílias muçulmanas podem ter privacidade e as mulheres podem tirar o hijab para comer, por exemplo. O mercado vai-se adaptando aos poucos para responder a essas necessidades”, sublinhou.

Hayek acrescentou que a escassez de restaurantes halal na maior parte do Brasil poderia ser compensada pela oferta onipresente de peixes e frutos do mar.

Ela finalizou dizendo: “Já estamos anunciando no mundo árabe e estamos 100% preparados para receber turistas muçulmanos”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *