Bolsonaro é alvo de investigação golpista brasileira e recebeu ordem de entregar passaporte

RIO DE JANEIRO – O ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro foi identificado como alvo em uma investigação federal sobre se seu governo planejava um golpe militar contra o país, disseram autoridades policiais ao The Washington Post na quinta-feira, e eles tiveram 24 horas para entregar. seu passaporte.

A revelação ocorreu no momento em que a Polícia Federal lançou uma operação massiva de busca e apreensão na manhã de quinta-feira, visando alguns dos conselheiros e assessores mais próximos de Bolsonaro, incluindo o ex-ministro da Justiça Anderson Torres e o vice de Bolsonaro, Walter Braga Neto.

O anúncio gerou ondas de choque político no maior país da América Latina, que ainda antecipava um ataque de milhares de apoiadores de Bolsonaro aos seus edifícios federais mais importantes no início do ano passado, após uma eleição presidencial historicamente divisiva, e trouxe a possibilidade de o Brasil poder mais uma vez testemunhar o impeachment. de um presidente.ex.

Polícia diz que status de vacina de Bolsonaro foi falsificado antes de ele entrar nos Estados Unidos

Desde que o atual presidente Luiz Inácio Lula da Silva superou Bolsonaro e deixou o cargo, ele e seus aliados têm se defendido de investigações e alegações de corrupção que vão desde mentiras às autoridades dos EUA sobre o estado de vacinação de Bolsonaro, manuseio indevido de joias do Estado e uso de vigilância governamental. Para espionar oponentes

Mas mais importante tem sido a investigação, supervisionada pelo Supremo Tribunal do Brasil, sobre se o governo de Bolsonaro planeia subverter a democracia brasileira e manter o seu controlo no poder, apesar do resultado das eleições presidenciais de 2022.

Na quinta-feira, a Polícia Federal anunciou novos resultados da investigação. Dois policiais, que falaram ao The Washington Post sob condição de anonimato para discutir a investigação com franqueza, disseram que o plano de roubo de poder estava muito mais avançado do que se sabia anteriormente. Envolveu planejamento logístico e tático e exigiu o envolvimento de altos funcionários do governo brasileiro.

READ  A guerra russo-ucraniana: o que sabemos no dia 41 da invasão russa | Ucrânia

Justiça brasileira proíbe Bolsonaro de concorrer à presidência

Meses antes das eleições, Bolsonaro e os seus principais aliados fizeram afirmações infundadas publicamente e nas redes sociais de que o sistema eleitoral do Brasil estava contaminado por fraude e já não era confiável. A polícia diz agora que os comentários faziam parte de uma conspiração para fornecer cobertura política a um golpe militar caso as eleições não corressem bem. A polícia diz que autoridades de Bolsonaro também conduziram planejamento logístico e tático, em coordenação com autoridades militares, para levar a cabo a aquisição.

A polícia ordenou que Bolsonaro, que está hospedado em sua casa de praia perto da cidade costeira de Angra dos Reis, se abstenha de qualquer contato com seus assessores que estão sob investigação.

Bolsonaro negou as acusações, dizendo ter sido vítima de perseguição política.

“Deixei meu cargo há mais de um ano e continuo sofrendo processos implacáveis.” Citado dele Como diz a Folha de S.Paulo. Ele acrescentou: “Esqueça de mim”. “Agora você tem outra pessoa governando o país.”

A operação de quinta-feira e a sua revelação certamente inflamarão a polarização política no Brasil, que continua profundamente dividido sobre a presidência de Bolsonaro e o papel que desempenhou no ataque de janeiro de 2022 a Brasília.

O filho de Bolsonaro, Flávio, senador brasileiro, descreveu a operação como uma “expedição de pesca” e uma tentativa de “destruir a direita”.

Em entrevista à rádio durante sua visita a Minas Gerais na quinta-feira, Lula disse não duvidar do envolvimento de Bolsonaro no suposto plano para assumir o controle militar do país.

“Isso não poderia ter acontecido sem ele”, disse Lola. “O comportamento dele foi muito estranho. Antes da eleição, ele passava o tempo todo mentindo sobre a eleição, sobre o voto, e colocando em dúvida o processo que o elegeu em 2018. Foi uma tática.”

READ  Toronto elege Olivia Chow como primeira prefeita chinesa do Canadá

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *