Banco Central do Brasil planeja proposta de fim de ano para regular criptomoedas pela Reuters

BRASÍLIA (Reuters) – O banco central do Brasil anunciou nesta segunda-feira que decidiu dividir o processo de regulamentação de criptoativos e provedores de serviços de ativos virtuais em fases, com propostas regulatórias esperadas até o final deste ano.

Esta decisão atrasa efetivamente a conclusão do processo após a promulgação da lei de 2022 sobre este assunto, que abriu caminho para posterior regulamentação por parte do Banco Central.

Numa audiência no Congresso no ano passado, o diretor de regulamentação do banco, Otavio Damaso, esperava que a regulamentação fosse concluída até junho de 2024.

Depois de lançar uma consulta pública sobre o tema em dezembro de 2023, que terminou em janeiro, o banco central afirmou que abrirá agora uma nova consulta no segundo semestre deste ano.

O banco central disse à Reuters que a primeira consulta pública visa recolher contributos da comunidade e abordar questões não abrangidas pela lei de 2022, como a segregação de activos de prestadores de serviços de activos virtuais.

Isto exige “dedicação razoável das equipas envolvidas no trabalho regulatório”, disse ela, acrescentando que a diversidade de atividades desenvolvidas pelas entidades do setor de ativos virtuais e as diferentes estruturas destas entidades exigiram este esforço inicial.

“A segunda consulta pública, agora centrada em textos regulamentares, visa utilizar os contributos iniciais, novamente com amplo apoio comunitário, para criar um quadro regulatório robusto”, afirmou o banco central.

READ  Filme taiwanês "Tristeza" vence Melhor Filme no Festival de Cinema Brasileiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *