Após a saída, Mattos comentou sobre o momento financeiro de Galo: “Muito complicado.”

O ex-gerente de futebol da Gallo disse que o clube é altamente dependente de investidores e é improvável que feche muitos negócios em 2021.

O ex-dirigente do Atlético de Futebol Alexandre Matos foi expulso do clube nesta manhã (4), após encontro com o novo presidente Sergio Coelho. Matos chegou a Gallo em março de 2020 e a sua saída faz parte da nova reestruturação da gestão, que também começou segunda-feira. O empresário, em entrevista à ESPN, falou sobre os bastidores de sua saída, o tempo que passou no clube e a situação financeira do Atlético.

“Eu trabalhava normalmente no Atlético. Cheguei ao Atlético no início do bloqueio. Uma semana eu estava indo para a Inglaterra, então o então presidente Sergio Set Camara veio aqui em casa“ Por que ficar aqui. ”A epidemia estava explodindo na Europa e eu vim com o peito Abra, com um coração muito forte para tentarmos nos vingar e fazer o que amamos fazer, que é administrar o futebol, e vim com um contrato até 2021, sabendo que no meio tenho uma eleição ”, disse Alexander Matos à ESPN, quando há eleições em uma seleção brasileira, sabemos disso Algumas coisas podem acontecer.

No memorando anunciando a saída do clube, o Atlético disse ao Atlético que a decisão foi tomada pelo “novo conselho” formado pelo presidente Sergio Coelho, o vice-presidente José Morello Procopio e os chamados “assessores coadjuvantes” Rubens Minin e Ricardo Guimarães. , Renato Salvador e Raphael Menin, grupo apelidado de “4Rs”, formado por empresários que investem na Galo. Para Matos, o clube continua altamente dependente desses investidores.

“Acho que o Atlético tem uma classe central bem desenvolvida por Junior Chavari, que tem bons valores. Acho que o Atlético tem uma equipe de transição e dois jogadores emprestados. É preciso misturar de vez em quando para procurar um jogador ou outro, isso é um pouco diferente do que Sampaoli pede.” Todo mundo sabe que o Sampaoli precisa mesmo de jogadores prontos, mas o Atlético está em uma situação financeira muito difícil. Não é segredo que o Atlético hoje vive muito do que Rafael e Rubens Minin usaram. Então, acho que o Atlético precisa passar um tempo daqui a um ou dois, ou três anos. Com uma ideia clara de reorganização e engenharia financeira, o ex-gerente disse que hoje vive muito por causa das pessoas físicas.

READ  1-Banco do Brasil Atualização Corretiva Avanços na redução de custos após o Bolsonaro Spat

Matos chegou ao Atlético no início da pandemia e acredita que apesar das dificuldades de negociação causadas pela doença, tem conseguido desenvolver um bom trabalho.

“Acho que vou sair com o Atlético, mesmo com uma pandemia, para mudar a cara do Atlético de futebol com regras, regras e escalações bastante modificadas, é claro, junto com nossa comissão técnica e nossa análise. Muitas saídas, se não me engano, acho que 22. É … Chegamos, colocamos o Atlético na frente. O Atlético está lutando pelo título brasileiro. No início do ano, ele foi eliminado da primeira fase da Copa do Brasil, da primeira fase do Campeonato Sul-Americano, e ficou na sexta colocação do Campeonato Minero, fora da área de classificação para as finais e conseguimos nos recuperar , Ganhamos o Campeonato Mineiro. Acho que a parte esportiva, tudo que me pediam no meu trabalho estava sendo entregue, agora a parte política, de opções, de mudar o presidente, isso está fora do controle de qualquer profissional ”, comentou Alexander Matos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *