A taxa de ocupação do COVID-19 em Portugal caiu para um mínimo histórico

O número de pacientes com COVID-19 que precisam de cuidados intensivos em hospitais em dificuldades em Portugal caiu no sábado de um recorde no dia anterior e o país relatou menos mortes diárias e novas infecções. Dados da Autoridade de Saúde Portuguesa mostraram que 891 pessoas estavam em cuidados intensivos, menos 13 em relação à sexta-feira, enquanto um total de 6.158 pessoas no hospital foram infectadas com o Coronavírus, abaixo dos 6.412 do dia anterior.

O recente aumento de feridos levou os hospitais à beira do colapso, com ambulâncias às vezes enfileiradas por horas devido à falta de leitos. Houve 214 mortes por COVID-19, menos de 258 na sexta-feira, e o número de infecções diárias chegou a 6.132, em outra queda em relação aos níveis do final de janeiro, quando as mortes diárias estavam acima de 300 e as infecções atingiram o pico de 16.432. O país está bloqueado desde meados de janeiro.

Desde o início da epidemia, morreram 13.954 pessoas com a doença, que não atingiu Portugal de forma particularmente forte na primeira vaga em março e abril de 2020, mas voltou para se vingar no mês passado. As autoridades atribuíram o aumento das infecções e das taxas de mortalidade ao tipo mais contagioso descoberto pela primeira vez na Grã-Bretanha, mas reconheceram que as restrições relaxadas sobre o feriado de Natal também podem ter desempenhado um papel importante.

(Esta história não foi editada pela equipe Devdiscourse e gerada automaticamente a partir de um feed compartilhado.)

READ  Postal de Portugal: a praia que chamamos de lar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *