A Copa do Mundo de 2030 sediará Espanha-Portugal-Marrocos com 3 seleções sul-americanas notícias de futebol

A única Copa do Mundo de 2030 será realizada na Europa e na África, com a adição surpresa da América do Sul em um acordo que permitirá que o torneio de futebol masculino comece com uma festa de 100 anos no Uruguai.

Presidente da FIFA, Gianni Infantino, durante reunião (Reuters)

A Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA) chegou quarta-feira a acordo entre os líderes dos continentes futebolísticos para aceitar apenas um candidato para acolher o torneio de 2030 em seis países, segundo anunciou a Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA).

Hindustan Times – Sua fonte mais rápida de notícias de última hora! Leia agora.

A candidatura hispano-portuguesa aumentou para incluir Marrocos este ano e agora inclui também os rivais de longa data Argentina, Paraguai e Uruguai. Todas as seis seleções nacionais terão entrada automática no torneio de 48 seleções. FIFA disse.

Um dos principais atrativos deste projeto inédito que abrange três continentes é a possibilidade de inauguração na capital uruguaia, Montevidéu, onde o Estádio Centenário sediou a final da Copa do Mundo de 1930.

“A Copa do Mundo Centenária não pode estar longe da América do Sul, onde tudo começou”, disse Alejandro Domínguez, presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol. “A Copa do Mundo de 2030 será realizada em três continentes”.

O consenso alcançado pelos antigos continentes rivais do futebol também permitiu à FIFA acelerar o processo de abertura do processo de candidatura para a Copa do Mundo de 2034, que está limitado às associações-membro da Ásia e da Oceania.

A Arábia Saudita tem como meta a edição de 2034 e a Austrália também está interessada depois de sediar com sucesso a Copa do Mundo Feminina deste ano com a Nova Zelândia. De qualquer forma, o torneio de 2034 será quase certamente realizado em novembro e dezembro, tal como a Copa do Mundo do Catar no ano passado.

Acelerar a escolha do anfitrião de 2034 até o final do próximo ano será amplamente visto como uma vitória para a Arábia Saudita e o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, que construiu laços estreitos com o presidente da FIFA, Gianni Infantino.

Yasser Al-Meshal, presidente da Federação Saudita de Futebol e membro do Conselho da FIFA, disse em declarações à imprensa: “Queremos celebrar a nossa cultura futebolística e partilhar o nosso país com o mundo”. Uma declaração do governo anunciando sua intenção de apresentar propostas.

A aceitação pelo Conselho da FIFA de uma nomeação unificada para 2030 ainda precisa de aprovação formal no próximo ano, numa reunião das 211 federações-membro. Isto deveria ser uma mera formalidade. A FIFA disse que a seleção de 2034 será feita em uma conferência separada.

“Em 2030, teremos uma presença global única, três continentes – África, Europa e América do Sul – seis países – Argentina, Marrocos, Paraguai, Portugal, Espanha e Uruguai – acolhendo e unindo o mundo enquanto celebramos juntos o belo jogo,” Infantino disse em comunicado: “O Centenário e a Copa do Mundo FIFA.” pé”.

O torneio de 48 equipes e 104 partidas está programado para acontecer de junho a julho de 2030, com partidas no Uruguai, Argentina e Paraguai, antes de a competição passar para os principais países anfitriões, Espanha, Portugal e Marrocos.

O plano envolveu uma quantidade sem precedentes de viagens através de distâncias e fusos horários e foi impopular entre os adeptos do futebol europeu, o grupo de adeptos oficialmente reconhecido pela UEFA.

A federação disse em comunicado: “A FIFA continua seu ciclo destrutivo contra o maior torneio do planeta”. Ele acrescentou: “É terrível para os apoiadores, ignora o meio ambiente e estende o tapete vermelho para um anfitrião de 2034 com um histórico terrível de direitos humanos”.

A candidatura da América do Sul para sediar o torneio vem sendo promovida desde a Copa do Mundo de 2018 na Rússia e inclui o Chile, o que não foi mencionado na quarta-feira.

A Ucrânia também foi excluída depois de ter sido incluída na candidatura europeia há um ano, numa conferência de imprensa na sede da UEFA, na Suíça. No entanto, a Ucrânia não foi mencionada nos comentários oficiais sobre a candidatura deste ano, apoiada pela UEFA.

Os Estados Unidos, Canadá e México sediarão a primeira Copa do Mundo masculina com 48 seleções em 2026.

A decisão de 2030 representa uma vitória para Marrocos, que investiu pesadamente em infraestrutura em sua maior cidade e foi escolhido na semana passada para sediar a Copa das Nações Africanas de 2025. A seleção masculina ajudou a avançar sua causa ao chegar às semifinais do Mundial Copa do Catar, após eliminar Espanha e Portugal nas rodadas anteriores.

A Corte Real do rei marroquino Mohammed VI disse num comunicado na quarta-feira que a seleção “reconhece a posição favorecida de Marrocos entre as grandes nações”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *