A alta do yuan na Rússia mostra a direção da moeda


As economias emergentes podem diversificar as reservas cambiais, impulsionar o comércio e o investimento

A participação recorde do renminbi no comércio de moedas russas em março confirma a tendência emergente de mais economias exportadoras de commodities aceitarem a moeda chinesa como uma alternativa a outras moedas internacionais importantes, disseram especialistas na terça-feira.

Seus comentários seguiram um relatório do Banco da Rússia, o banco central do país, na segunda-feira, de que a participação comercial do par yuan/rublo no mercado de câmbio russo atingiu uma nova alta de 39 por cento em março.

O Banco Central da Rússia disse que, no mesmo período, a participação do par dólar/rublo caiu para 34%, o nível mais baixo dos últimos anos. Um relatório recente da Bloomberg também disse que o renminbi substituiu o dólar como a moeda mais negociada na Rússia.

Além disso, alguns relatos da mídia indicaram que o NBD-Bank, um banco russo para pequenas e médias empresas, ingressou no Sistema de Pagamentos Interbancários Transfronteiriços ou CIPS, especializado na compensação de pagamentos internacionais em RMB. Especialistas disseram que esse desenvolvimento também reflete a alta do RMB no mercado de câmbio da Rússia.

A agência de notícias russa Sputnik, citando uma reportagem do jornal russo Kommersant, disse que a adesão ao CIPS pode reduzir o tempo de processamento de pagamentos em renminbi na China, o que ajuda a agilizar as liquidações e melhorar a qualidade dos serviços do banco aos clientes que exercem atividades econômicas com China.

Yang Haiping, pesquisador do Instituto de Valores Mobiliários e Futuros da Universidade Central de Finanças e Economia, disse que o uso do renminbi se expandiu na Rússia à medida que o país busca fortalecer os acordos em moeda local diante das sanções financeiras durante a crise econômica e comercial. cooperação. Entre China e Rússia se aprofunda.

READ  Efeitos das interrupções da cadeia de suprimentos global no Brasil

Yang disse que o aumento do uso do renminbi no comércio bilateral ajudará os dois países a reduzir os riscos de usar uma moeda de terceiros para acordos comerciais e abrir caminho para mais cooperação econômica e reduzir sua dependência da moeda verde.

O uso do renminbi também está ganhando força em outros países exportadores de commodities, à medida que a confiança no sistema centrado no dólar diminui.

O Banco Central do Brasil, Banco Central do Brasil, disse que a moeda chinesa ultrapassou o euro para se tornar a segunda maior moeda de reserva estrangeira para o Brasil, pois representa 5,37% das reservas monetárias internacionais no Brasil até o final de 2022. O Brasil é um grande exportador de produtos minerais e agrícolas.

Em março, o Export-Import Bank of China conseguiu a primeira cooperação de empréstimo em RMB com o Saudi National Bank, o maior banco comercial da Arábia Saudita.

Yang disse que esses desenvolvimentos indicam que a participação do uso do RMB no comércio internacional de energias, recursos e commodities pode aumentar, uma tendência que ajudaria a China a aprimorar seu papel na cooperação econômica internacional e melhorar sua posição na cadeia de suprimentos global.

O uso global do renminbi ajudará a estabilizar o sistema monetário internacional, ajudando as economias de mercados emergentes a diversificar suas reservas cambiais e a aliviar as interrupções das flutuações de liquidez do dólar em acordos transfronteiriços, disse Yi Yidan, pesquisador do Instituto de Pesquisa do Banco da China. e financiamento.

“Será um consenso entre mais participantes do mercado que a expansão do uso do renminbi além das fronteiras ajudará a facilitar o desenvolvimento estável do comércio e investimento bilaterais”, disse Yi.

Especialistas disseram que, apesar do progresso positivo, ainda são necessários esforços de longo prazo para que a moeda chinesa alcance o peso das principais moedas internacionais.

READ  Ariel Investments LLC aumenta participação na Telefônica Brasil SA (NYSE: VIV)

Dados do Fundo Monetário Internacional mostraram que a participação do renminbi nas reservas cambiais globais chegou a 2,69% no quarto trimestre do ano passado, ocupando o quinto lugar entre todas as moedas, mas bem abaixo dos 58,36% do dólar.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *