6 Países ocidentais exigem que a Rússia devolva duas regiões que ocupou da vizinha Geórgia há 15 anos

Seis países ocidentais marcaram o 15º aniversário da tomada pela Rússia de 20% do território da Geórgia pedindo a Moscou na quinta-feira que devolva as regiões da Ossétia do Sul e da Abkházia.

De acordo com um comunicado conjunto emitido pelos seis membros do Conselho de Segurança da ONU – Estados Unidos, Reino Unido, França, Albânia, Japão e Malta – A invasão russa da Geórgia em 2008 “marcou uma tendência mais agressiva” Em sua política para com os vizinhos, algo Está testemunhando hoje na Ucrânia.

A declaração, após consultas fechadas do conselho sobre a Geórgia, disse que os seis países estão “resolutos” em reafirmar a independência, soberania e integridade territorial do país “dentro de suas fronteiras internacionalmente reconhecidas”.

Em agosto de 2008, a Rússia entrou em guerra com a Geórgia, que tentou, sem sucesso, recuperar o controle da província separatista da Ossétia do Sul. Moscou então reconheceu a independência da Ossétia do Sul e de outra província separatista da Geórgia, a Abkházia, e estabeleceu bases militares lá.

A declaração, que foi lida pelo embaixador albanês Ferit Hoxha fora do Conselho de Segurança cercado por diplomatas dos outros cinco países, condenou a “invasão brutal” da Rússia e a ocupação contínua da Ossétia do Sul e da Abkházia e seus “passos para a anexação dessas regiões georgianas”.

Os países ocidentais também reiteraram sua condenação a Moscou por “provocações contínuas que se assemelham à agressão injustificada e injustificada da Federação Russa contra a Ucrânia”.

Eles apontaram a continuação dos exercícios militares da Rússia no território, mar e espaço aéreo da Geórgia, bem como a construção de cercas de arame farpado e outras barreiras, prisões ilegais e sequestros de residentes locais, discriminação contra georgianos e danos deliberados à cultura georgiana. herança.

READ  Quedas de energia ocorreram em Taiwan após um acidente na usina

Os seis países disseram que o conflito russo-georgiano deve ser resolvido pacificamente com base no direito internacional, incluindo a Carta das Nações Unidas, que exige o reconhecimento da integridade territorial de cada país, “ao mesmo tempo em que observa o contexto da agressão contínua da Rússia contra a Ucrânia”.

O vice-embaixador da Rússia nas Nações Unidas, Dmitry Polyansky, chamou a declaração ocidental de “hipócrita” em um tweet, dizendo que a Geórgia havia perdido seu território devido a uma “aposta imprudente”.

Rússia Voos diretos com a Geórgia foram retomados em maioPolyansky disse que as relações de Moscou com o país estão “melhorando gradualmente, permitindo o turismo e as trocas econômicas”.

“Mas o Ocidente anti-Rússia não está feliz e está tentando criar uma barreira entre nós a qualquer custo”, disse ele. “Esta declaração é uma ilustração clara disso.”

Polyansky chamou a situação de “especialmente repugnante e hipócrita”, sabendo que a Ucrânia se tornou “anti-russa” em 2014, quando Moscou anexou a Crimeia. Ele disse que a Ucrânia “agora está sendo sacrificada pelos Estados Unidos e seus aliados aos interesses geopolíticos ocidentais em uma fútil guerra por procuração da OTAN contra a Rússia até o fim da Ucrânia”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *