Vírus Corona | O presidente Bolsonaro negou acusações de irregularidades no negócio da Kovaccin

Não gastamos um único centavo na Covaxin. Não recebemos uma única dose de Covaxin. Que tipo de corrupção é essa? Perguntou.

Na quinta-feira, 24 de junho de 2021, o presidente Jair Bolsonaro disse que o Brasil não pagou ou recebeu nenhuma dose de uma vacina contra o coronavírus desenvolvida pela indiana Bharat Biotech, em resposta a alegações de irregularidades em um negócio sob investigação.

Promotores federais e um comitê especial do Senado estão investigando o acordo da Covaxin para a Bharat Biotech, citando o fato de que o governo fechou um acordo rapidamente quando as ofertas da Pfizer em 2020 a um preço mais baixo na época foram ignoradas.

Leia também: Presidente brasileiro convoca Ramayana enquanto pesquisa hidroxicloroquina da Índia

“Não gastamos um centavo com Covaxin. Não recebemos uma única dose de Covaxin. Que tipo de corrupção é essa?” Disse o Sr. Bolsonaro.

O presidente se comprometeu a tomar as medidas necessárias caso seja descoberta alguma corrupção em seu governo. Bolsonaro disse que o preço das vacinas de Bharat está geralmente em linha com o de outros países.

Segundo ele, a posição do governo sempre foi comprar as vacinas somente depois de aprovadas para uso pela Anvisa, órgão federal de saúde.

A Covaxin ainda não recebeu aprovação para uso geral, embora tenha recebido permissão para conduzir um ensaio clínico de Fase 3 por meio de uma empresa brasileira parceira.

Na quarta-feira, 23 de junho de 2021, a Bharat Biotech disse em um comunicado que ainda não forneceu suprimentos de vacina para o Brasil e que é contínua e transparente em seus preços com todos os governos.

READ  A estreia do novo filme de Mortal Kombat foi adiada para o Brasil em maio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *