Vale do Brasil lança caminhões autônomos em sua maior mina de ferro, Carajás

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) – A mineradora brasileira Vale disse na quinta-feira que começou a usar caminhões autônomos pela primeira vez em seu complexo de Carajás, sua maior operação de mineração de minério de ferro, enquanto continua a expandir o uso de tecnologia autônoma.

Pedro Pemvica, CEO do Independent Technology Program, disse que a Vale espera aumentar a produtividade e a segurança usando caminhões para transportar minério de ferro.

Os seis veículos autônomos das mineradoras de Karajas têm o dobro de altura e mais de três vezes a largura dos caminhões convencionais e são capazes de transportar 320 toneladas de minério de ferro.

Os aviões gigantes vão operar junto com sua frota de cerca de 120 veículos off-road regulares em Carajás, que fica no norte do estado do Pará. A empresa planeja adicionar mais quatro caminhões autônomos até o final do ano.

A expectativa da empresa é que os caminhões, que circulam constantemente e em maior velocidade, reduzam o consumo de combustível em cerca de 5% e os planos da Vale ajudem a reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Os custos relacionados ao desgaste também devem ser menores, com menos gastos com lubrificantes e pneus.

“O principal objetivo é realmente estar seguro”, disse Pemfica. “Lançamos essa tecnologia em caminhões com o objetivo de manter as pessoas longe dos perigos inerentes.”

Ele disse que toda a frota da empresa de 13 veículos off-road na mina de Brucutu, no sudeste de Minas Gerais, é independente e não houve um único acidente desde que a tecnologia foi introduzida lá, em 2016.

O executivo disse que a empresa planeja investir US $ 64 milhões na expansão de sua frota de caminhões autônomos para 37 unidades em Carajás, embora não tenha dado um prazo claro de quando isso será concluído.

READ  Membros do Conselho do Condado de Howard Jones e Legislação do Arquivo de Rigby que fundaram a Força-Tarefa sobre Igualdade Racial

Pemvica disse que a Vale também tem quatro sondas de perfuração independentes em Carajás e planeja adicionar mais três até o final do ano.

(Reportagem de Marta Nogueira; Escrita de Jake Spring; Edição de David Evans)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *