Uma consultoria diz que a chuva está desacelerando o plantio da nova safra de soja do Brasil

São Paulo (Reuters) – As fortes chuvas em algumas áreas do Brasil desaceleraram o plantio da safra de soja 2022/2023 do país, disse nesta segunda-feira a consultoria de agronegócios AgRural.

Até quinta-feira, a área total plantada com oleaginosas era de 3,8% no maior produtor mundial de soja. Isso é comparado a 4,1% há um ano, de acordo com a AgRural.

“O progresso durante a semana não foi ruim, mas a semeadura poderia ter sido mais rápida não fosse pelas chuvas contínuas nos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo”, disse Agural.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Em Mato Grosso, maior produtor de grãos do Brasil, as chuvas da semana passada foram bem-vindas para melhorar a umidade do solo e acelerar a semeadura, de acordo com o comunicado.

Enquanto isso, a semeadura do milho verão no Brasil está 34% concluída no centro-sul, de onde vem a maior parte da produção do país. Isso se compara com 32,6% no mesmo período de um ano atrás.

Mas no sul do Brasil, o tempo nublado desacelerou o crescimento da safra de milho. Por enquanto, porém, não se fala em declínio na produção de milho na região, de acordo com a AgRural.

O governo brasileiro e alguns meteorologistas privados esperam que o país colha um recorde de 150 milhões de toneladas de soja nesta temporada.

O governo também espera produzir 125,5 milhões de toneladas da safra de milho neste ciclo, excluindo problemas climáticos.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Anna Manu). Edição por Bernadette Bohm

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

READ  Voltar para Personal Fashion Shows: Marcas brasileiras de calçados no Atlanta Shoe Market e MAGIC Pop-Up Orlando

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.