Tribunal desportivo brasileiro pede suspensão e multa de Textor por alegações de manipulação de resultados

8 de julho – Na conclusão de uma investigação sobre acusações de manipulação de resultados contra John Textor, o Supremo Tribunal de Justiça Desportiva do Brasil recomendou que o americano fosse suspenso por seis anos e multado em 2 milhões de rands (US$ 550 mil), descrevendo suas provas como “inúteis”. .

Desde que o Botafogo perdeu por 4 a 3 para o Palmeiras no ano passado, Textor fez uma série de acusações de manipulação de resultados a árbitros e outros clubes, com base no relatório ‘Bom Jogo’, mas suas afirmações e provas não convenceram o STJD.

“Após uma análise abrangente, o auditor do processo concluiu que as provas eram ‘inúteis’ e constituíam crimes desportivos contra a honra cometidos por John Textor contra sete entidades desportivas, nove atletas e nove árbitros”, afirmou a Associação de Juízes Desportivos.

“Além disso, foram constatadas violações da ética esportiva e de motivos pessoais no pedido de início da investigação.”

Em março, Textor disse ter provas de manipulação de resultados no campeonato brasileiro, que submeteu ao Supremo Tribunal Federal para apreciação como parte da investigação. Um mês depois, também publicou um texto em seu site informando que a partida entre Palmeiras e São Paulo havia sido fraudada.

A associação também propôs encaminhar o caso ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro por envolver infrações penais.

“Estando teoricamente apurados os crimes de falsa denúncia e falsa denúncia de crime, favor enviar cópia completa desta investigação ao Ministério Público do Rio de Janeiro, Dr. Luciano Oliveira Matos de Souza, para que ele tome as providências que considerar necessário”, dizia o pedido.

Em resposta, Textor escreveu no seu website: “É um facto sem precedentes, em qualquer sociedade civilizada, que um denunciante que solicite uma investigação deva ser punido, especialmente quando há alegações credíveis baseadas em depoimentos de peritos”.

READ  Novos cruzeiros parados no Brasil em meio à disseminação da Omicron

“Perguntas sérias devem ser feitas sobre o controlador da Confederação Brasileira de Futebol, Sr. Mauro Marcelo de Lima e Silva, que parece estar agindo de acordo com a agenda de outra pessoa. Além das sanções desproporcionais que ele propôs recentemente em seu relatório, estou. consternado por ter procurado esclarecer os factos de boa fé.” “Os elementos de manipulação de resultados levaram a acusações graves contra mim.”

Ele também questionou a imparcialidade do auditor financeiro e o acusou de ser torcedor do Palmeiras.

Entre em contato com o escritor se esta história estiver no ar cliente.l1720441503Laptop1720441503Oferta1720441503Oyedi1720441503Sunita@y1720441503Tanok.1720441503Jordaniano1720441503Diamantes1720441503

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *