TIM Brasil inicia lançamento de rede 5G com Ericsson e Huawei: relatório

A operadora brasileira TIM confirmou que Ericsson e Huawei serão fornecedores de equipamentos para a rede 5G, de acordo com reportagens da imprensa brasileira.

Leonardo Capedville, CTIO da operadora, confirmou que a intenção da empresa é lançar o serviço 5G antes do prazo estabelecido nas regras do leilão brasileiro, que é julho de 2022.

“Temos uma meta muito curta de conseguir ativar as capitais e o Distrito Federal até julho”, disse o executivo.

Ambas as empresas participaram da prova de conceito com a TIM, em Santa Catarina e Minas Gerais, respectivamente.

No entanto, Capdeville sugeriu que outros fornecedores pudessem ser selecionados nos estágios futuros de um lançamento 5G. “É um processo contínuo. Temos que começar com eles, o que não significa que a TIM Brasil não vai analisar as oportunidades. Precisamos correr porque sabemos que o prazo é muito curto”, disse.

Em outubro, a TIM realizou testes da rede 5G Standalone (SA) em parceria com Ericsson, Motorola e Qualcomm.

Uma conexão de dados 5G NR CA SA foi estabelecida na rede comercial da TIM vinculada à sua rede experimental de 3,5 GHz, agrupando espectro não contíguo nas bandas de 700 MHz (n28) e 3,5 GHz (n78).

O desempenho 5G NR CA é concluído usando a infraestrutura 5G SA RAN da Ericsson, smartphones Motorola com plataformas móveis Snapdragon 778G e 870 5G com sistemas Snapdragon X53 e X55 5G Modem-RF.

No mês passado, o Brasil levantou um total de 47,2 bilhões de reais (US$ 8,5 bilhões) em seu último leilão de espectro 5G.

Por meio desse leilão, o governo doou espectro nas bandas de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz.

READ  Bonucci disse que Ronaldo terá dificuldades se Portugal enfrentar a Itália nas eliminatórias da Copa do Mundo

O governo indicou que o valor total angariado inclui os preços do direito de utilização das licenças, as obrigações de investimento associadas a cada domínio, bem como o prémio pago.

As principais operadoras de telefonia móvel do país, Vivo, Claro e TIM, garantiram espectro 5G, assim como as operadoras de telecomunicações Algar Telecom e Sercomtel. Além disso, seis novos participantes receberam espectro 5G no leilão.

A Vivo gastou mais de 1,7 bilhão de riais para obter licenças 5G, seguida pela Vivo da Telefonica, com mais de 1,1 bilhão de riais e TIM, com um investimento total de mais de um bilhão de riais. O governo confirmou que essas três empresas adquiriram espectro nas faixas de 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz.

Regras previamente aprovadas pela agência de monitoramento de comunicações Anatel determinam que o 5G deve ser implantado em todas as capitais brasileiras até 31 de julho de 2022.

Cidades brasileiras com população superior a 500.000 terão 5G até 31 de julho de 2025, enquanto o prazo para lançar o serviço em locais com população superior a 200.000 é 31 de julho de 2026. Além disso, cidades brasileiras com população superior a 100.000 terão 5G até julho 31, 2027, e o serviço estará disponível em locais com população superior a 30.000 até 31 de julho de 2028.

As regras também exigem que as operadoras cubram a vasta Amazônia com conectividade de banda larga, usando principalmente cabos de fibra óptica instalados em rios, e construam uma rede segura separada para o governo federal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.