TERMOS DE US0

CONHEÇA

EXPEDIENTE 

ANUNCIE

APOIE

FALE COM O BMB 

OPINIÃO 

BMB TV

PARCEIROS:

Todos os direitos reservados.

últimas notícias.

Ministro do STF suspende dívida do município do Rio com BNDES

Continente africano já tem mais de 7 mil casos de covid-19

Secretária de Educação do Rio testa positivo para covid-19

Coronavírus traz novos desafios para cuidadores de idosos

Japão adota restrições rigorosas de entrada no país

Caminhoneiros serão incluídos na campanha de vacinação contra gripe

1/5
Please reload

O Menino Que Queria Ser Rei: discreto e adaptado para os dias de hoje

Trama narra a clássica história do Rei Arthur numa verdadeira “sessão da tarde” para entreter e divertir o público infantil

 

Por Saturnino Júnior, do Bem Mais Brasília

Coluna Cinegrafia | 30 de Janeiro de 2018 às 17:20h

 [Foto: Divulgação]

 

A trama se passa na Inglaterra e narra o percursso dos guerreiros (cavaleiros) que precisarão ser leais uns aos outros e manter-se puros de coração para poder salvar a região das diabólicas ciladas que aterroriza os corações humanos. Alex (Louis Serkis) é um garoto que não se acha capaz de realizar grandes ações por sofrer de complexo de inferioridade. Certo dia, ao passar pelo caminho da escola irá observar o colega de classe se tornar chacota (bullying) de dois alunos bagunceiros, e ao se intrometer para salvar o amigo acaba se tornando alvo e é perseguido diariamente por isso. Em um dos momentos enquanto fugia dos colegas, Alex cai em um terreno baldio, após acordar se depara com a “Excalibur” – espada que pertenci ao rei Arthur. Em ocasião disso, surgirá Merlin (mago) o guardião responsável pela missão principal e guiará Alex para lidar contra as ciladas de Morgana.

 

No entanto, Alex é o único capaz de retirar a espada da rocha, o que podemos identificar como “poder especial” dado a ele, o início da jornada que tem como missão salvar e garantir a segurança de todos da maldição de Morgana (meia irmã do Rei Arthur) que está presa nas trevas e pretende retornar à Terra para tomar a espada e dominar o mundo, porém, a espada tem poderes e só pertence ao único guerreiro, o escolhido capaz, e com o dever, de assegurar a paz. Para isso ele precisará ter o coração puro, ações de humildade, bondade e sobretudo buscar a justiça entre as pessoas, o que atrairia assim seguidores por meio do exemplo e os conduziria para se tornarem grandes guerreiros.

 

 [Foto: Divulgação]

 

A meia irmã do Rei Arthur, Morgana mesmo estando presa nas trevas, pouco a pouco vai se libertando, pois o que a mantém viva são os maldosos sentimentos humanos que consomem as pessoas como: o ódio, o poder obsessivo, a ganância, a inveja, a mentira, orgulho, assassinatos de pessoas etc. O desejo de Morgana é roubar a Excalibur (ela acredita ter direito por pertencer a família real do Rei Arthur) para dominar o mundo e segundo a mesma exterminar por completo a raça humana, que ao seu ver não tem nenhuma serventia. Daí por diante começa a saga, assim como no conto clássico do Rei Arthur, Alex precisará de um exército de guerreiros leais que serão consagrados para exercer a missão de proteger a humanidade e lutar contra as terríveis maldições de Morgana.

 

Como podemos ver, o longa-metragem narra a clássica história do Rei Arthur recontada numa versão atualizada e adaptada com tudo o que existe de recursos existentes dentro da realidade humana. No entanto, mesmo tendo um público-alvo específico (infantil) a trama traz algumas questões que podem gerar reflexões ao público adulto. Ao pensarmos em algumas posturas e comportamentos no dia a dia, por exemplo, a ganância, obter mais e mais poder, inferiorizar as pessoas, as ações mesquinhas que dificilmente uma criança teria ao encontrar outra criança, as mentiras e enganações para se dar bem nas situações, a inveja, a cobiça em desejar ter o que é do outro, uma série de sentimentos e comportamentos que os adultos tem e de algum modo acabam transmitindo as crianças, que por vez acabam absorvendo e repetindo as mesmas ações seja no colégio, nos grupos de colegas ou nos relacionamentos em geral.

 

 [Foto: Divulgação]

 

Outro fator que destaco é o bullying nas escolas que ocorre no decorrer da trama. É evidente a maneira como o diretor aborda isso de forma simples sem espetacularização dos envolvidos, mas o que de fato acontece e nós temos conhecimento. A ideia é trazer a tona algo não terminável, porém vira e mexe acontece nos corredores, salas e pátios escolares, nas ruas ou dentro de casa dependendo da rotina da criança ou do adolescente que atrapalha por demais o processo de desenvolvimento cognitivo e de crescimento saudável dos mesmos.

 

Acredito que outra questão identificada na trama são os conflitos internos gerados dentro da criança ou do adolescente ao se depararem com a realidade de mundo diferente daquilo que pensava ou imaginava ser. Imagina o choque de realidade para muito desses jovens em descobrir que os pais são divorciados? E que alguns desses pais convivem na mesma casa fingindo um casamento que não existe, mas optam por não dizer nada para o filho (a). Que tipo de mundo estamos deixando para as futuras gerações?

 

Imaginemos os conflitos que devem ser para a criança ou pré-adolescente ter de assistir todas as tragédias e crimes ambientais como o caso de Brumadinho(MG)? Mas eles aprenderam na escola que o meio ambiente precisa ser preservado? Como que alguém ou empresa faz um tipo de coisa dessas? O pré-adolescente aprende que existe a coleta seletiva de lixo mas ele vê a mãe jogando embalagem de bombom no chão? Ele vê o pai tomar a cerveja e jogar a latinha no quintal ou na rua? Os meus questionamentos, internauta é nessa linha: como estamos formando nossas crianças e pré-adolescentes? Que tipo de conteúdo eles estão absorvendo? O que esperar desses futuros homens e mulheres com toda a bagagem que estamos proporcionando a eles hoje? Penso que a trama tem muito a acrescentar de maneira positiva para a imaginação e conscientização para o público infantil ou infanto juvenil e ao mesmo tempo fomentar a questão da descoberta do “eu idealizador”.

 

Acredito que o filme traz de forma discreta algumas das reflexões citadas acima e nos faz repensar nossos comportamentos diante das crianças que acabam aprendendo determinadas posturas sejam boas ou não. Aproveitando o período de férias escolares indico como programação para a garotada.  O filme estreia nesta quinta-feira (31/01) nos cinemas e a classificação indicativa é 10 anos. 

 

Confira o trailer:

 

 

Ficha Técnica

 

Direção: Joe Cornish

Produtor: Tim Beva/ Eric Fellner

Distribuição internacional: Twentieth Century Fox

Produção brasileira: Fox

 

Elenco:

 

Louis Serkis – Alex

Tom Taylor – Lance

Angus Imrie – Merlin jovem

Patrick Stewart – Merlin

Rebecca Ferguson – Morgana

Denise Gough – Mãe de Alex

Nathan Stewart-Jarrett – Sr. Kepler

Nick Mohammed – Sr. Boyle

Rhianna Dorris – Kaye

Dean Chaumoo – Bedders

 

Please reload

comente.
recomendados para você.

Ministro do STF suspende dívida do município do Rio com BNDES

Continente africano já tem mais de 7 mil casos de covid-19

Secretária de Educação do Rio testa positivo para covid-19

Coronavírus traz novos desafios para cuidadores de idosos

Japão adota restrições rigorosas de entrada no país

Caminhoneiros serão incluídos na campanha de vacinação contra gripe

1/1
Please reload